Osesp apresenta concerto para mão esquerda de Ravel

Entre 1929 e 1931, o compositorfrancês Maurice Ravel esteve envolvido na composição - sobencomenda de Paul Wittgenstein, irmão do filósofo Ludwig Wittgenstein - de umconcerto para piano a ser executado apenas pela mão esquerda.Não foi o primeiro a compor uma obra desse tipo - os russosScriabin e Liapunov já o haviam feito - mas talvez seuConcerto para Mão Esquerda seja o mais importante desserepertório. E será executado amanhã e sábado pelo pianistaMichel Beroff ao lado da Sinfônica do Estado, que será regidapelo maestro Gunther Neuhold, em substituição a Hans Graf, quecancelou sua vinda ao Brasil por causa de um problema detendinite. "É um concerto de escrita muito interessante, uma obrabastante forte", diz Beroff. Escrita após a 1.ª Guerra, oconcerto foi encomendado pelo Wittgenstein pianista, que perdeuum dos braços na guerra (mais de um autor já ressaltou a ironiade Ravel e Wittgenstein terem lutado em lados opostos durante oconflito). Para Beroff, que já gravou esta peça em Londres com omaestro Claudio Abbado, fica clara a intenção de Ravel deescrever um concerto que não apenas compense a falta de uma dasmãos do pianista, mas que se sustentasse como uma dasreferências dentro do repertório para piano e orquestra. "É umconcerto único, extremamente bem pensado em termos de estrutura,orquestração, unidade, elementos que falam por si só quando seexecuta ou ouve a obra." Tudo isso, obviamente, cria uma série de dificuldadespara o intérprete, ressaltadas pelo pianista francês. "O que émais difícil? Basicamente tudo. O concerto possui coloridosdistintos, diferentes vozes, que você precisa recriar, com umamão só. Para isso, a mobilidade, o aspecto físico, são elementosfundamentais. É como se dividíssemos uma mão em várias partes."E isso para não falar da orquestra, "enorme". "Você estásozinho contra toda aquela massa sonora. Mas, o concerto é tãointeligente que torna tudo isso possível de se fazer e é aí queestá o grande desafio." O programa da apresentação é completado pela suíte n.º2 de Daphnis e Chloé, também de Ravel, a Sinfonia n.º 36,Linz, de Mozart, e a Fantasia Coral Op. 80, de Beethoven.Serviço - Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Amanhã, às 21 horas; sábado, às 16h30. De R$ 12 a R$ 36.Sala SãoPaulo. Praça Júlio Prestes, s/n.º,tel. 3337-5414.

Agencia Estado,

21 de agosto de 2002 | 15h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.