Osesp apresenta a Nona Sinfonia de Beethoven

Uma das mais populares obras de todo o repertório sinfônico-coral, a Sinfonia n.º 9, de Beethoven, será interpretada pela Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Seu apelo popular é tanto que, em apenas uma hora, todos os ingressos foram vendidos, fazendo com que a orquestra já tenha marcado duas récitas extras. Além de quinta-feira e domingo, haverá apresentações nos dias 12 e 13, também na Sala São Paulo. A regência estará a cargo do maestro Roberto Minczuck diretor artístico adjunto da orquestra. Fernand Portari, Celine Imbert, Adélia Issa e Dean Peterson serão os solistas.A história da Nona Sinfonia remonta a 1814, dez anos antes de sua composição. Nessa época, Beethoven encontra-se em um verdadeiro inferno astral: data desse período a sua célebre carta à amada imortal, na qual ele renuncia para sempre ao amor e à possibilidade de viver ao seu lado. "Com exceção da Sinfonia n.º 8, suas outras duas obras sinfônicas do período a Nona e a Missa Solemnis, mostram um Beethoven deprimido", acredita Minczuck.No entanto, enquanto a Missa Solemnis busca o confronto com Deus, a Nona Sinfonia mostra Beethoven conformado, deixando ao mundo um testamento de esperança. "As primeiras partes ainda traduzem certa agonia, mas o final prega uma mensagem de esperança, de unidade, baseada na poesia de Schiller." Um dos destaques da apresentação é a utilização, pela primeira vez no Brasil, da edição Bärenreiter, que se aproxima bastante dos originais do compositor, sem as alterações sofridas pela partitura ao longo dos anos. Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo - Quinta-feira, às 21 horas; domingo, às 17 horas. De R$ 10,00 a R$ 30,00. Sala São Paulo. Praça Júlio Prestes, s/n.º, tel. 3337-5414

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.