Os mestres da batucada se reúnem no Sesc Consolação

O mundo da percussão baixou em São Paulo e convida o público a fazer parte dele. Até o dia 24 de junho, músicos de diversas nacionalidades, especialistas em todos os tipos de batuque, apresentam-se, dão cursos e oficinas na programação intitulada Mundo Percussivo, no Sesc Consolação, graças à iniciativa do percussionista dos grupos A Barca, Abaçaí e América Contemporânea, Ari Colares. Infelizmente, a maioria dos cursos já está com as vagas esgotadas. Fique atento à oficina que será ministrada pelo percussionista americano Glen Velez, que popularizou o frame drum, instrumentos com armação redonda coberta por uma fina membrana (pandeiros, por exemplo). O músico, que já esteve no País para o Percpan de 1996, ministra sua oficina no dia 22 de junho.Nesta quarta-feira, 25, às 20 horas, o trio de percussão formado por Lucimara Bispo, Pax Bittar e Wellington Tibério, chamado Coração Quiáltera, apresenta seus compassos irregulares e timbres invulgares no Hall de Convivência do Sesc Consolação, gratuitamente. "Eles utilizam instrumentos inusitados, como moringas e aquários de peixe, dos quais tiram escalas a partir de diferentes níveis d´água", conta Colares. Décio Gioielli (calimba), Wadaiko Sho (taiko), Osvaldinho da Cuíca, Fogueira das Rosas, Redandá (toques de candomblé), o pernambucano Zezinho Pitoco (zabumba), Fanta Konatê e Troupe Djembedon (batuques africanos) e Ricardo Bologna completam a lista de convidados especialíssimos da programação, cujas apresentações ocorrerão toda quarta-feira, no mesmo horário, até 20 de junho.O público também será contemplado, gratuitamente, com danças tradicionais brasileiras do grupo Abaçaí, fundado em 1973. O espetáculo está marcado para 30 de maio, às 18 horas, também no Hall de Convivência do Sesc Consolação. Colares integra o grupo com sede no Parque da Água Branca desde 1981, quando tinha apenas 17 anos e estava no início de sua trajetória como percussionista. "O Abaçaí sempre teve uma relação estreita com a arte tradicional brasileira." Foi logo após uma viagem de 15 dias pelo interior de Minas Gerais e Rio, durante os festejos da Folia de Reis, que o percussionista teve certeza de que era com aquilo que gostaria de trabalhar por toda a sua vida.Músicos da Índia, Argentina, Armênia, EUA e, claro, Brasil, também já preparam as malas e o repertório para shows singulares em junho. Mundo Percussivo. Sesc Consolação. Rua Dr. Vila Nova, 245, telefone 3234-3000. Quarta-feira, às 20 horas. Grátis. Até 27/6

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.