Os DVDs estão salvando o mercado musical

A Associação Brasileira de Produtores de Discos (ABPD) divulga seu relatório anual, referente à performance do setor fonográfico durante o ano passado, no Brasil e no mundo. Juntamente com a publicação de 2004, foi divulgado também, pelo segundo ano consecutivo, o resultado do balanço do 1.º semestre de 2005 para o setor. Em destaque, o crescimento do mercado mundial de vendas de DVDs musicais. Se em 2004, o mercado fonográfico no Brasil apresentou crescimento de 17% em valores (na realidade, obteve recuperação em relação a 2003, ano que em mostrou queda de justamente 17%), no primeiro semestre deste ano os números indicam uma queda no mercado em 12,9% em valores e de 19,4% em unidades vendidas. Ainda sobre o Brasil, o crescimento no setor, após períodos de quedas acentuadas, foi puxado pelo bom desempenho nas vendas de DVDs musicais, que cresceram, segundo a associação, mais de 100% só no último ano. Reflexo de um nicho que apresenta forte potencial de crescimento no mundo, as vendas de DVDs no Brasil colocaram o País em 7.ª posição no ranking dos 10 mercados mais importantes no formato de DVDs musicais, em valores. O Brasil apresentou ainda maior participação local do formato DVD musical, com 26% do mercado nacional. O Japão lidera esse ranking, com 11% de participação de mercado local e 23% de mercado global (esta é a maior participação global do formato). Os EUA ocupam o segundo lugar e a Alemanha figura na terceira posição. Além dos DVDs musicais, as estatísticas sobre o setor fonográfico contidas no relatório abrangem os números de vendas de CDs e VHS musicais. No mercado brasileiro, o segmento áudio (CD, single e LP), em 2004, apontou um pequeno crescimento de 2,9% em valores faturados (R$ 526 milhões) em relação a 2003. Desse total, 79% das vendas (em unidades) correspondem a produtos nacionais contra 21% de internacionais. Apesar da recuperação do mercado fonográfico brasileiro em relação a 2003, a indústria, no geral, continua a enfrentar dificuldades, desencadeadas, segundo o relatório, sobretudo pela pirataria comercial e pela troca ilegal de arquivos. De acordo com o Relatório de Pirataria Comercial de 2005 da indústria fonográfica, publicado pela Federação Internacional de Indústria Fonográfica, um em cada três discos vendidos no mundo é pirata, movimentando um mercado ilegal de música que alcança US$ 4,6 bilhões. No ano passado, foram vendidos US$ 1,2 bilhões de discos-piratas, número que representa 34% de todos os discos vendidos no mundo. Em contrapartida, no último ano, foram retirados de ação um número recorde de produção de produtos piratas, por meio da apreensão de equipamentos de gravação de CDs. Assim sendo, em 2004, a pirataria musical registrou aumento 2%, o que representa o menor nível de crescimento em cinco anos. No entanto, é quase o dobro da quantidade de discos-piratas registrados em 2000. De novo com o foco no Brasil, a oferta de produtos piratas se manteve no País, com mais da metade do mercado sendo tomado por produtos ilegais. Por isso, o Brasil está presente no ranking dos 10 mercados mais afetados pela pirataria física de CDs. Foi em 2004 também o ano em que chegaram ao fim os trabalhos da CPI da Pirataria da Câmara dos Deputados, que divulgou um relatório final indicando a dimensão do problema da falsificação de produtos industriais dos mais diferentes tipos e os danos causados por esse tipo de atividade. Mundo - Em termos de vendas mundiais da denominada "música gravada", os estudos não apresentaram maiores alterações, "com uma ligeira queda nas vendas de áudio em formatos físicos, que, por sua vez, foram compensadas com vendas crescentes de vídeos musicais em DVD e um acentuado crescimento nas vendas de música digital", descreve o relatório. Os EUA continuam a encabeçar o ranking dos 10 mercados mais importantes do mundo, seguido pelo Japão, Reino Unido, Alemanha, França, Austrália, Canadá, Itália, Espanha e Holanda. As vendas digitais estão em franco crescimento em todo mundo durante o ano passado. A quantidade de serviços digitais quadruplicou em 2004 e os EUA se mantêm o país líder global nas vendas de downloads, com mais de 142,6 milhões de faixas baixadas. 24% de aumento na venda de DVDs no mundo 2,6% de queda na venda de CDs, em valor R$ 706 milhões foi a cifra movimentada no mercado brasileiro US$ 4,6 bilhões foi o valor movimentado pela pirataria no mundo 17% de crescimento do mercado fonográfico brasileiro, em valor, em 2004 12,9% foi a queda do mercado fonográfico no Brasil, em valor em 2005 26% de participação do formato DVD no mercado local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.