Os 60 anos de Paulinho da Viola

Paulo César Baptista de Faria nãogosta de festas e badalações. Ganhou de presente um CD duplodedicado à sua obra, interpretado por Teresa Cristina e o GrupoSemente. Participou do disco, cantando o samba Depois de TantoAmor, mas não se sabe se vai ao lançamento oficial, que seráamanhã, dia de seu aniversário, no Centro CulturalCarioca.No dia 20, no Espaço Cultural Sérgio Porto, sempre noRio, recebe outro presente: a biografia Paulinho da Viola,Sambista e Chorão, assinada pelo jornalista João Máximo,volume que faz parte da coleção Perfis do Rio.O príncipe do samba - como é reconhecido - não quisdeixar sua legião de admiradores sem música, e tratou deantecipar os shows comemorativos do aniversário. Cantou, noTeatro João Caetano, no fim de semana. Repertório de clássicos -Pecado Capital, Argumento, Coração Leviano, Sei Lá Mangueira, Dança da Solidão, Foi um Rio Que Passou naMinha Vida.Subiu ao palco acompanhado do conjunto que tem à frenteo violonista César Faria, seu pai, o mesmo que, um dia, disse aoadolescente que fosse ser médico ou engenheiro, jamais sambista.Paulinho conta a história no samba chamado 14 Anos. Músicogenial, César errou, dessa vez.As homenagens não param aí. Paulinho ganha, em breve, umsite na internet, e um documentário sobre sua vida e obra, comargumento de Zuenir Ventura e direção de Isabel Jaguaribe. Otítulo do documentário - Paulinho, Meu Tempo É Hoje - brincacom o samba de José Batista e Wilson Batista que Paulinho gravou Meu Mundo É Hoje.Melhor notícia: o compositor está para assinar contratocom uma gravadora do Rio. A tradução é: Paulinho quer gravarnovo disco. E esse presente será nosso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.