Reprodução
Reprodução

Orquestras e teatros criam projetos para a internet

Osesp lançou selo digital, que oferece download gratuito de discos, e Teatro Municipal prepara novo portal

João Luiz Sampaio, O Estado de S. Paulo

29 de março de 2014 | 16h00

O uso da tecnologia tem estado na pauta de algumas das principais instituições musicais do País. No ano passado, além da transmissão ao vivo de concertos, a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, por exemplo, lançou seu selo digital. E o Teatro Municipal deve colocar ainda este ano no ar seu novo site, investindo na produção de conteúdo específico para a rede.

A ideia da Osesp é colocar na internet, gratuitamente, gravações do grupo. Os contratos com gravadoras tradicionais estão mantidos. Mas o selo digital não apenas dá maior vazão ao que é feito na temporada, como, na opinião do diretor artístico Arthur Nestrovski, permite alcançar um público ainda maior. Foi por isso, ele explica, que resolveu, no ano passado, colocar álbuns dedicados aos compositores Aylton Escobar e Gilberto Mendes no site da orquestra (osesp.art.br) – e há quatro novos projetos previstos para 2014.

E os números são promissores. A comparação com vendas de CDs físicos precisa ser feita com cuidado, afinal, no site, o acesso às gravações do selo digital é gratuito. Mas, se considerarmos apenas os discos da orquestra lançados pela Biscoito Fino desde 2005, os números não fazem feio. Em quase dez anos, o grupo vendeu 36.600 discos; em apenas três meses, 5.863 downloads (ou seja, 16% desse valor) já foram feitos.

No Teatro Municipal, a inserção digital tem sido uma das apostas desde a chegada do maestro John Neschling à direção, no início de 2013. No horizonte, estão iniciativas como a transmissão pela internet de óperas e concertos. Mas isso é apenas parte de um plano mais amplo. “O Municipal é um bem público e a internet é, sim, uma maneira de divulgar o que fazemos, mas não só isso: é um canal também de comunicação com o cidadão. Estamos montando uma equipe dedicada a isso e alguns resultados já são visíveis, com uma ação ampla em redes sociais, por exemplo. E tudo isso vai desaguar na estreia do novo site, ainda este ano”, explica o coordenador de comunicação da Fundação Teatro Municipal, Marcos Fecchio. “A fundação não tem apenas os concertos e óperas, há as escolas, e para cada aspecto de nossa atividade está sendo pensada uma maneira de existir digitalmente, com a produção de conteúdos específicos. Com isso, queremos deixar para trás um Municipal que não olha para fora de suas paredes.” / J.L.S.

Tudo o que sabemos sobre:
Música

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.