Orquestra Petrobras Pró-Música define o cenário da música erudita no Rio

Para um Teatro Municipal lotado, aOrquestra Sinfônica da Petrobras Pró-Música abriu sua temporadaa todo vapor, dando continuidade a um trabalho que, cada vezmais, marca a vida musical carioca. Foi no início de abril, comum concerto dedicado aos 40 anos do Festival Villa-Lobos, quando,sob regência de seu diretor artístico, Roberto Tibiriçá,executou o Trenzinho do Caipira, as Bachianas Brasileirasn.º 3 (com solos da pianista Linda Bustani) e os Choros n.º6 do compositor brasileiro. Fundada em 1987 pelo maestro Armando Prazeres, aorquestra completa 15 anos de parceria com a Petrobras, que, para2002, está investindo R$ 4 milhões no trabalho do grupo. SegundoCarlos Eduardo Prazeres, diretor executivo da orquestra, "opapel da OPPM é formar público e também músicos, apostando emuma temporada atrativa, dando estímulos aos jovens também comconcursos - como o realizado este ano para jovens solistas".Para ele, o sucesso que a orquestra tem obtido está baseadonessa proposta, dentro da qual, segundo ele, a figura do maestroRoberto Tibiriçá é indispensável. Séries - A apresentação no início de abril marcou avolta dos concertos matinais ao Municipal do Rio, série quecontinua esta semana com o pianista Arnaldo Cohen interpretandoo Concerto para Piano e Orquestra em Formas Brasileiras n.º2 de Hekel Tavares e o Concerto para Piano de Grieg. Aorquestra também vai interpretar as Três Danças paraOrquestra, de Camargo Guarnieri. Paralelamente a essa série de concertos, a PetrobrasPró-Música também fará uma outra, noturna. Os programas de ambasas séries chamam a atenção pela diversidade do repertório e oelenco de solistas e regentes que vai trabalhar com a orquestra.Na série matinal, Celine Imbert vai cantar a Xerezade deRavel; Shlomo Mintz tocará o Concerto para Violino deMendelsohnn; Nelson Freire vai solar no Concerto n.º 2 deBrahms e Barry Douglas vai interpretar os quatro concertos parapiano e orquestra de Rachmaninoff. Na série noturna, o violonista Turíbio Santos vaiinterpretar o Concerto de Aranjuez, de Joaquín Rodrigo, eGilberto Tinetti as Variações Sinfônicas de César Franck, emum concerto que será regido por Henrique Morelembaum; AmaralVieira será o solista da Wanderer Fantasy de Schubert, na versãopara piano e orquestra de Liszt; o pianista Eduardo Monteiro vaiinterpretar o Andante com Variações para Piano e Orquestra,de Henrique Oswald; Lilian Barreto toca, com regência de RobertoDuarte, o Concerto para Piano de Ravel; dentro do festivalBeethoven, Carmelo dos Santos, Luís Benedini e Antonio Del Clarovão interpretar o Concerto Tríplice em Dó Maior para Violino,Violoncelo, Piano e Orquestra. Está programado também um concerto, com regência deLutero Rodrigues (titular da Sinfonia Cultura), com obras apenasde compositores brasileiros contemporâneos: Ricardo Tacuchian,Ronaldo Miranda, João Guilherme Ripper, Ernani Aguiar e EdinoKrieger.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.