Orquestra árabe-israelense de Daniel Barenboim toca para o papa

O papa Bento 16 fez nesta quarta-feira um apelo pela paz no Oriente Médio durante um concerto oferecido pela Orquestra Ocidental-Oriental Divan, dirigida pelo maestro Daniel Barenboim e formada por jovens músicos árabes e israelenses.

Reuters

11 de julho de 2012 | 20h41

"A mensagem que eu gostaria de lançar hoje é esta: para alcançar a paz é preciso estar comprometido, deixando para trás a violência e as armas, comprometido com a conversa entre pessoas e comunidades, com o diálogo, com a busca paciente por possíveis entendimentos", disse o papa ao final do concerto.

A apresentação ocorreu no pátio da residência pontifícia de verão, ao sul de Roma, na Itália. O presidente italiano, Giorgio Napolitano, estava presente.

Barenboim fundou a orquestra em conjunto com o falecido acadêmico palestino Edward Said, com a intenção de reunir a cada verão boreal músicos de várias origens étnicas e nacionais do Oriente Médio.

A ideia é que a música possa alimentar um diálogo entre os israelenses e os árabes.

No concerto desta quarta-feira, dia de São Bento, a orquestra interpretou a 5a e 6a sinfonias de Beethoven.

(Reportagem de Philip Pullella)

Tudo o que sabemos sobre:
MUSICABARENBOIMPAPA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.