Reuters
Reuters

Ornette Coleman, saxofonista e lenda do jazz, morre aos 85 anos

Músico estava internado e teve uma parada cardíaca

Reuters, O Estado de S. Paulo

11 de junho de 2015 | 11h52

Ornette Coleman, saxofonista e compositor de jazz americano, considerado uma lenda do estilo e pioneiro do free jazz, morreu nesta quinta-feira, 11, aos 85 anos, segundo informações do The New York Times.

Segundo o jornal, que descreve o músico como uma das figuras mais inovadoras, poderosas e controversas da história do gênero, ele estava internado no hospital Beth Israel, em Manhattan, Nova York, e sofreu uma parada cardíaca. 

Nascido no Texas, em 9 de março de 1930, Ornette Coleman demonstrou, inicialmente, influência do bebop e de Charlie Parker. Ornette Coleman ficou famoso a partir do álbum The Shape of Jazz to Come, disco de 1959 que ajudou a criar o free jazz, vertente mais experimental e menos melódica. Influenciado primeiramente por Charlie Parker, lançou o disco de estreia, Something Else, em 1958.

Em 1986, Coleman alcançou um novo público com o disco Song X, em parceria com o guitarrista de fusion Pat Metheny. Também na década de 1980, estabeleceu uma interessante parceria com o guitarrista Jerry Garcia, do Grateful Dead, tendo gravado juntos o álbum Virgin Beauty (1988).

Em fevereiro de 2007, Coleman ganhou um Grammy pelo conjunto da obra. Ele também faturou o Prêmio Pulitzer de música por seu álbum Sound Grammar (2006). 

Apesar de conhecido por suas músicas intrincadas e conceituais, o jazzista afirmou que nunca quis ser inacessível. "Faço o mesmo desde adolescente e só faço isso por causa das qualidades dos seres humanos", comentou. "Nunca pensei em ser esperto; só pensei em ser bom."

 

Mais conteúdo sobre:
Ornette Colemanjazzmúsica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.