Orlando Moraes revela gravação feita com Sting e Peter Gabriel

Música gravada em um projeto de álbum duplo de 2005 ficou guardada por 'excesso de pudores' do artista; discos de Moraes também serão disponibilizados nas plataformas digitais

Julio Maria, O Estado de S.Paulo

11 de dezembro de 2020 | 10h00

O cantor e compositor Orlando Moraes lança nesta sexta (11) uma canção gravada em 2005 com o nome Le Silence Tue. A música faz parte de um projeto original de dois álbuns gravados na mesma época com nomes grandiosos da música pop mundial que Orlando só revela agora. Gravado na França, o projeto vai comemorar os 40 anos de carreira nos palcos e 30 de discos. A partir desta sexta também, toda a obra do cantor será disposta nas plataformas digitais de streaming.

O single que sai agora tem presenças luxuosas. Orlando canta com Sting e Peter Gabriel e a música tem acompanhamento de do saxofonista norte-americano Branford Marsalis e ainda de David Sancious (teclados), Simon Clark (teclados e Hammond C3), Pino Palladino (baixo), Dominic Miller (guitarra), David Rhodes (guitarra acústica) e do baterista Manu Katché (bateria), que divide com Orlando a composição.

Houve um pudor, talvez em excesso, que fez com que as gravações do projeto francês de Orlando não fossem reveladas antes. Ele disse que temeu pelo que as pessoas diriam a respeito dos músicos de seu álbum. “Eu não sou amigo deles, nem de Sting nem de Peter Gabriel. Tudo aconteceu por intermédio do Manu Katché. Mas as pessoas sairiam dizendo que estaria usando meus amigos para fazer um álbum. Acabei não lançando antes.” Muitos artistas em seu lugar só queriam um desses músicos para fazerem uma gravação e bombardearem suas redes com posts de ostentação. Só para ficar em alguns dos músicos, Pino Palladino tocou com Paul Young, Eric Clapton, D’Angelo, Roger Waters e, recentemente, como integrante convidado do The Who, substituindo John Entwistle. Dominic Miller já fez guitarras para Pretenders, Phil Collins e também Paul Young. Branford Marsalis tem um sobrenome que fala por si.

Mas esse era o desconforto de Orlando. Ele não queria passar a ideia de que foi lá fora buscar gente para lustrar seu nome, ungi-lo com as benesses de um suposto reconhecimento internacional. “Fazer uma música com Dominguinhos é tão ou mais grandioso quanto”, ele diz. E, por mais currículos que esses artistas tenham, mais uma vez, não são amigos de Orlando. Agora, acertado com o próprio passado, Orlando começa a revelar fases de sua vida que ainda não vieram à tona.

 

Tudo o que sabemos sobre:
França [Europa]Sting

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.