Organização recorre contra adoção de bebê por Madonna

Uma organização defensora dos direitos humanos em Maláui decidiu recorrer nos tribunais após saber da intenção da cantora americana Madonna de adotar uma criança malauiana.A rede sul-africana "SABC", que cita fontes de organizações de direitos humanos, informou hoje que a adoção de David Banda, de um ano de idade, é ilegal e pode ser catalogada como tráfico ilegal de menores.O bebê deixou Maláui na segunda-feira e está na residência de Madonna em Londres. As autoridades malauianas entregaram o menor como custódia temporária enquanto se completam os trâmites da adoção.O Comitê Consultivo de Direitos Humanos de Malauí recorreu contra a adoção no Supremo Tribunal, que adiou a análise do recurso para a próxima sexta-feira.Um representante do comitê, Titus Mvalo, afirmou que as leis de Malauí obrigam os pais adotivos a serem residentes no país e serem avaliados até dois anos antes da conclusão do processo, segundo a "SABC".A cantora, no entanto, afirma que cumpriu todos os procedimentos legais, "como qualquer pessoa", como publicado em comunicado divulgado por seus porta-vozes esta semana.Madonna, de 48 anos, casada com o cineasta Guy Ritchie, já tem dois filhos: Lourdes, de 10 anos, e Rocco, de 6.David vivia em um orfanato depois que sua mãe morreu no parto. O pai, Yohane Banda, concorda com a adoção do menino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.