Ópera é o destaque no ano Verdi

A ópera e o canto lírico serão a tônica da programação 2001 dos Patronos do Teatro Municipal. No ano em que são lembrados os cem anos da morte do compositor italiano Giussepe Verdi, a associação programou duas óperas do compositor, em montagens em parceria com outros teatros da América Latina.A abertura da temporada ocorre em maio, com apresentações da meio-soprano norte-americana Denyce Graves, acompanhada da Orquestra Sinfônica Municipal. A regência será do maestro Julius Rudel, que esteve por aqui em 1999, também na temporada dos Patronos, regendo a orquestra em recitais da célebre soprano italiana Mirela Freni.Denyce, dona de um repertório bastante vasto, que vai desde musicias da Broadway ao lied alemão, despontou para a fama por suas interpretações de papéis como Carmen, da ópera de mesmo nome de Bizet, e Dalila, em Sansão e Dalila, de Saint-Saens.Em junho, Rudel volta ao pódio da Sinfônica Municipal, agora para um recital de outra meio-soprano norte-americana, Frederica Von Stade, já conhecida do público paulistano. Uma das principais cantoras, em seu registro vocal, da segunda metade do século 20, Frederica apresenta-se em todos as principais casas de espetáculo do mundo e, no ano passado, comemorou seus 30 anos no Metropolitan Opera House, de Nova York, com uma nova produção de A Viúva Alegre.A primeira montagem de ópera esta programada para agosto. Trata-se de La Traviata, ópera de 1853 de Giuseppe Verdi. Com cenários e figurinos do Teatro Municipal de Santiago, a produção terá direção musical do argentino Reinaldo Censabella, diretor artístico do Teatro Colón, que esteve por aqui este ano refgendo a ópera Lucia di Lammermmoor. Até agora, apenas a soprano Patricia Racette está confirmada no elenco, que será dirigido por Alejandro Chacón.Em setembro, a atração é uma gala lírica em homenagem ao Teatro Municipal, que completa 90 anos no ano que vem, e aos 10 anos dos Patronos. Participam do concerto, a Orquestra Sinfônica Municipal, o Coro Lírico Municipal e solistas nacionais ainda não definfidos.Il Trovatore, em outubro, é a segunda montagem programada pela associação.Nova produção em convênio com o Teatro Muncipal de Santiago e o Teatro Colón, assinada por Enrique Bordolini e Imme Möller, a ópera terá como solistas a soprano Cynthia Makris, a meio-soprano Larissa Diadkova, o tenor Vladimir Bogachov e o baixo Dimitri Kavrakos. Orquestra e coro será regidos pelo maestro György Györivanyi Ráth, ex-diretor da Orquestra Sinfônica de Budapeste, que, no ano passado, regeu uma nova produção de Macbteh, no Colón. O diretor cênico será Oscar Figueroa.O maestro Jamil Maluf e a Orquestra Experimental de Repertório encerram a temporada em novembro, com apresentações ao lado do instrumentista, compositor, cantor e regente de jazz Bobby McFerrin, nome que ainda está sujeito à confirmação. De qualquer forma, como aconteceu neste ano, a OER e Maluf irão encerrar a temporada com algum grande nome do jazz internacional.

Agencia Estado,

25 de dezembro de 2000 | 19h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.