Olivia Hime apresenta show 'Palavras de Guerra ao Vivo' no Rio

DVD é um tributo ao letrista-cineasta Ruy Guerra, amigo de décadas do casal Olivia e Francis Hime

Roberta Pennafort, de O Estado de S. Paulo,

26 Fevereiro 2008 | 18h47

Ao fim do show de gravação de seu DVD Palavras de Guerra ao Vivo, no Sesc Santana, no ano passado, Olivia Hime avisou a platéia: "Vamos ter de repetir quatro músicas. Quem quiser ficar será bem-vindo." Ninguém saiu do lugar. A historinha é contada com graça por Olivia, que ficou bem satisfeita com o registro ao vivo, apesar de não ter gostado da idéia a princípio. "Adoro disco ao vivo, mas dos outros. Achei que seria uma redundância. Gostei; tem uma emoção que não encontro em nenhum dos meus dez discos."  Veja também:Ouça faixa 'Sonho Impossível'  Tributo ao letrista-cineasta (ou cineasta-letrista) Ruy Guerra, amigo de décadas do casal Olivia e Francis Hime, o DVD tem quatro faixas que não constam do CD original, lançado em 2007: Sonho Impossível, Você Vai me Seguir, Por Um Amor Maior e Fado Tropical, além de duas citações, Ana de Amsterdam e Reza. As canções, parcerias de Guerra com Chico Buarque, Edu Lobo e Francis (há outras com Carlos Lyra e Sérgio Ricardo), combinaram com o tom teatral impresso por Olivia na gravação. "As letras de Ruy induzem a isso", diz. O DVD, que será lançado com shows nesta quarta-feira, 27, e quinta-feira, 28, no Teatro Rival, no Rio, tem um "extra" e tanto: depoimentos de parceiros e admiradores de Guerra, que falam da força de seu discurso. Carlos Lyra lembra o compositor bossa-novista. "O Ruy me chama muito atenção como letrista, pelo estilo extremamente original. Ele é uma figura importante dentro da bossa nova, mas é pouco lembrado como letrista da bossa nova." Chico discorre sobre o "animal político". "Ele trouxe uma carga política que a juventude bossa-novista de Ipanema não conhecia. As canções com Ruy são muito particulares dentro do meu repertório", considera Chico, que rememora, às risadas, as brigas que teve com o amigo sobre um tabuleiro do jogo War. Olivia aparece apontando sua "aparente aspereza" e a "novidade" presente em suas letras. A cantora, que é diretora artística da gravadora Biscoito Fino, pela qual o CD e o DVD saem, explica que resolveu dar voz aos companheiros de Guerra para que o público descubra mais sobre o universo do homenageado (imagens de alguns filmes são mostradas). "Muita gente mais jovem não conhece o Ruy. Coloquei algo que eu, como espectadora, gostaria de ver." O próprio surge para recordar como virou letrista: "Comecei durante a ditadura. Não podia fazer cinema, então comecei a fazer letra como forma de sobrevivência, para ganhar uns trocados e pagar um chope." Quando soube do projeto de Olivia, surpreendeu-se. "Eu disse: ‘Acho ótimo, mas não conta comigo pra isso. Eu já escrevi as letras, agora você escolhe e seu olhar passa a ser mais importante que as minhas letras.’"

Mais conteúdo sobre:
Olivia Hime

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.