Obra de Strauss terá estréia no País

Melodrama é o nome que se dá a um texto falado - peça de teatro ou poema narrativo - com acompanhamento musical contínuo. Em março de 1897, Richard Strauss estreou em Munique o melodrama Enoch Arden, com poema de lorde Alfred Tennyson. Essa obra, apresentada pela primeira vez na América Latina, será um dos destaques da série de Concertos Internacionais de Música de Câmara, que se inicia amanhã no Espaço Cultural Promon (antiga Sala São Luís), dentro da série Concertos BankBoston 2001, e se estende até 28 de novembro. Na tradução de Ivo Barroso, o poema será declamado, dias 13 e 14 de setembro, por Fernanda Montenegro, com acompanhamento do pianista Jean-Louis Steuermann - que, na primeira parte, executará uma série de Improvisos de Schubert. Esta é apenas uma das atrações desses oito concertos dedicados à música de câmara. Nos dias 29 e 30 de outubro, o celebrado Quarteto Talich, da República Checa - que acaba de lançar uma elogiada integral dos quartetos de Mendelssohn - vai ser ouvido pela primeira vez no Brasil, tocando Mendelssohn, Janácek e Beethoven; e depois, Turina, Mozart e Dvorák. A série se abre amanhã, às 21 horas, com o Quarteto Castagneri e o clarinetista Roman Guyot, da nova geração francesa, mas já aclamados pela crítica. Amanhã e depois eles tocam peças de Haydn, Debussy, Béla Bartók e, nos dois recitais, o belo Quarteto para Clarineta e Cordas, de Brahms. Ao lado desses jovens, virão veteranos como o violinista israelense Shlomo Mintz e o pianista lituano Itamar Golan que, nos dias 28 e 30, farão peças de Schubert, Stravinski, Brahms e Ravel. E também Krysztof Penderecki, um dos mais importantes compositores poloneses contemporâneos que, nos dias 12 e 13 de novembro, assistirá à primeira execução no Brasil de uma de suas obras mais recentes: o Sexteto para Piano, Clarineta, Trompa e Cordas. Com o Quarteto n.º 1 para Piano e Cordas, de Brahms, a peça de Penderecki será interpretada por Régis e Bruno Pasquier (violino e viola), Arto Noras (violoncelo), Juhani Lagerspetz (piano), Michel Lethiec (clarineta) e Eric Ruske (trompa). A presença brasileira será assegurada pelo Quarteto Amazônia, que participou da integral das peças desse gênero de Villa-Lobos, lançada conjuntamente pelos selos Karup (Brasil) e Chant du Monde. Além de peças de Beethoven, Schubert e Ravel, o Amazônia fará ouvir o Quinteto para Piano e Cordas de Schumann, em companhia do libanês Abdel Rahman el-Bacha que, recentemente, lançou na França, onde reside, uma integral das sonatas para piano de Beethoven descrita pela crítica como "muito pessoal".Quarteto Castagneri e Romain Guyot. Amanhã e depois, às 21 horas. R$ 30,00. Assinaturas: R$ 180,00 à venda no local; ou pelos tels.0--11 3081-1911 e 3191-0011; ou na Fnac, Rua Pedroso de Morais 858. Espaço Cultural Promon. Avenida Juscelino Kubitschek 1.830, tel. 3847-4111. Patrocínio: BankBoston

Agencia Estado,

19 de agosto de 2001 | 14h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.