O talento masculino nos grandes palcos da cidade

Nem cantoras nem bandas. Uma ligeira mudança no panorama habitual coloca em destaque alguns compositores e letristas (o que os espanhóis chamam de "cantautor") nos maiores palcos da cidade neste fim de semana. No Directv Music Hall, Arnaldo Antunes faz o show de lançamento do CD Saiba. Lulu Santos canta os sucessos de sempre no Tom Brasil das Nações Unidas. O mato-grossense Almir Sater desembarca com sua sonora viola no Credicard Hall. Duas unidades do Sesc trazem André Abujamra (Vila Mariana) e Paulo César Pinheiro (Pompéia) interpretando o repertório de seus discos mais recentes - respectivamente, O Infinito de Pé e O Lamento do Samba. Arnaldo chega com um roteiro lapidado pelas andanças por outras cidades - processo inverso ao que vinha fazendo - e uma banda coesa, com a qual vem atuando há anos. "Gosto de trabalhar com esse espírito de banda. A gente se entende muito bem e sabe os caminhos que tem para seguir", diz o compositor. No roteiro está metade das canções de Saiba -, incluindo a versão roqueira para o samba clássico A Razão Dá-se a Quem Tem (Noel Rosa/Ismael Silva/Francisco Alves) e a "tribalista" Consumado (parceria de Arnaldo com Marisa Monte e Carlinhos Brown). Ele ainda canta faixa-título do disco dos Tribalistas em si, sucessos de seus álbuns-solo anteriores (Socorro, Alegria) e dos tempos de Titãs (Demais e O Pulso). Os cenários e figurinos são de Suzana Yamauchi, com quem trabalhou nas duas últimas turnês com ótimos resultados. Quem viu um show de Lulu Santos aparentemente viu todos. Há quem volte justamente porque sabe que nenhum dos sucessos vai ficar de fora. Com pequenas variações nos arranjos, isto sempre acaba em celebração. Desta vez o pretexto é o lançamento do CD e DVD MTV ao Vivo, que tem, adivinhe o quê?: Como Uma Onda, Um Certo Alguém, O Último Romântico, entre outros chicletes pops. "Estas são minhas canções e nelas está minha vida. Muitas tiveram a sorte de se tornarem populares. Seria muita estupidez deserdá-las", defende. E tem mais: "As pessoas a-do-ram as canções." Há muito tempo sem lançar disco, o mato-grossense é outro que explora com segurança um vasto repertório de belezas como Tocando em Frente (parceria com Renato Teixeira imortalizada por Maria Bethânia), Um Violeiro Toca e Trem do Pantanal. Estas estão entre os clássicos modernos da música caipira que ele leva na viola. Almir, que já teve seus dias de galã de novela rural, será acompanhado por outras duas violas, baixo, teclado e percussão. Em situação oposta à dos tempos de Karnak, quando eram 13 músicos no palco, o inquieto André Abujamra agora faz tudo o que sabe apenas com o baixista Du Moreira e o baterista Kuki Stolarski. Ele toca diversos instrumentos e conta com 2 DVDs emitindo imagens sincronizadas com o som. Nos shows deste fim de semana, Abujamra divide o palco com o rapper Xis e com o compositor Moska. Não é o show de lançamento de Infinito de Pé, mas o roteiro inclui canções deste que é seu primeiro disco-solo e tem um pouco de tudo: canto de aboio, reggae, drum´n´bass, hip hop, improvisos de jazz e até um extenso, divertido e real currículo. Abujamra defende idéias como "o amor é a única arma capaz de gerar harmonias entre as diferenças", mas não perdeu o humor. "NesTe trabalho me abri todo, contei minha vida. Sou engraçado, mas sempre falei essas coisas poéticas. No Karnak e no Mulheres Negras (dupla que formou com Maurício Pereira nos anos 80) me incomodava um pouco essa identificação com o humor. Agora quis colocar a poesia um pouco à frente." De mãos dadas com belas melodias e harmonias, o que não falta na ficha profissional de Paulo César Pinheiro - um dos maiores letristas da música brasileira - é poesia. No Sesc Pompéia, ele mostra seus primorosos versos contidos nas faixas do CD Lamento do Samba. Pinheiro nunca foi cantor, mas para isso tem quem o faça melhor em sua companhia. Desta vez ele conta com Amélia Rabelo para propagar a tristeza necessária de seus sambas. Almir Sater. 16 anos (14 e 15 anos acompanhados dos pais ou responsáveis). Credicard Hall. Avenida das Nações Unidas, 17.955, 6846-6010. Amanhã, às 22h. R$ 30 a R$ 70. Cc.: D, M, V. Estac.: R$ 15 André Abujamra, Xis e Moska. 12 anos. Teatro do Sesc Vila Mariana. Rua Pelotas, 141, V. Mariana, 5080-3000. Amanhã,às 21h, e dom., às 18 h. R$ 15 Arnaldo Antunes. 16 anos (14>e 15 acompanhados dos pais ouresponsáveis). Directv Music Hall. Avenida Jamaris, 213,6846-6040. Hoje e amanhã, às>22h. R$ 30 a R$ 65. Cc.: D, M, V.Estac. c/ manobr.: R$ 15 e R$ 20 Lulu Santos. 14 anos. Tom Brasil ? Nações Unidas.Rua Bragança Paulista,1.281, 2163- 2000. Hoje e amanhã, às 22h. R$ 30 e R$80. Estac. c/ manobr.: R$ 15 Paulo César Pinheiro. 12 anos. Teatro do SescPompéia. Rua Clélia, 93, 3871- 7700. Amanhã, às 21h; dom., às 18h. R$ 15. Até dom.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.