O Rappa apresenta suas canções polêmicas

O grupo O Rappa faz apresentação única hoje à noite no Tom Brasil - Nações Unidas, com o repertório do disco O Silêncio Q Precede o Esporro. O show tem motivos para ser especial. Será a primeira grande apresentação em São Paulo depois da morte do produtor Tom Capone, responsável pela sonoridade ousada do álbum do grupo, cuja atual formação conta com Marcelo Falcão (voz e guitarra), Marcelo Lobato (bateria), Xandão (guitarra) e Lauro Farias (baixo). Em outubro, Falcão fez uma homenagem a Capone na entrega do Vídeo Music Brasil, prêmio da emissora musical MTV, ao lado de Maria Rita, que também trabalhou com o produtor. Capone havia se tornado quase um integrante do Rappa durante as gravações do disco. Em uma coletiva de imprensa, disse o que pensava sobre o grupo. "Em todos os discos que produzo, sei mais ou menos para onde o som do artista vai. É tudo meio previsível. Com O Rappa isso nunca acontece. Você nunca sabe para onde eles vão." O Silêncio Q Precede o Esporro é considerado pelo próprio grupo um de seus melhores álbuns. A agressiva Reza Vela foi a primeira música a emplacar. Outras que têm feito sucesso nos shows são O Salto, Linha Vermelha, Óbvio, Maneiras e Deus lhe Pague. O cenário do show será de responsabilidade do VJ, artista plástico e grafiteiro Fábio Ema. Serão usados elementos de alguns projetos sociais que são apoiados pela banda. E para quem queria saber mas tinha vergonha de perguntar: sim, Deborah Secco, namorada de Falcão, estará na platéia. O Rappa - Hoje, às 22h. Tom Brasil - Nações Unidas (Rua Bragança Paulista, 1281. Tel. 2163-2000) Ingressos: R$ 40 a R$ 70

Agencia Estado,

11 de novembro de 2004 | 11h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.