O pior e o melhor do som dos anos 80

As músicas que marcaram os anos 80 vão encher os ouvidos de um público mais acostumado a dançar ao som de tecno. É que a Trash 80´s, festa retrô que há mais de dois anos coloca os freqüentadores do Caravaggio, no centro de São Paulo, para dançar, vai ganhar sua versão na Vila Olímpia. E a estréia, neste sábado, vai ser em grande estilo. Os promotores vão trazer o cantor inglês Ritchie que compôs o hit Menina Veneno em 1983, a música mais tocada nas rádios naquela década. "A idéia é recriar aquele clima das discotecas, que já não existe mais, com lugares para se ver um show e para dançar", explica Enéas Neto, DJ e criador da festa. Há cerca de um ano, ele e o sócio, o DJ Tonyy, receberam convite para levar a festa para a Vila Olímpia, como se fosse uma franquia. "Queriam que a gente licenciasse a Trash 80´s, mas a gente não consegue não se envolver", emenda Enéas. Os fãs da festa, que curtem o espírito alternativo do evento, não precisam se preocupar. Os organizadores garantem que a Trash 80´s não vai mudar para agradar ao público da Vila Olímpia. "Temos de ver se a Vila vai assimilar o conceito da festa, que não tem nada de modismo. Sabemos que vai ser difícil", explica Tonyy. Ele também avisa que a festa original, que acontece de quinta a domingo no boate da rua Álvaro de Carvalho, no Centro, não pára. "No sábado, as duas festas rolam simultaneamente", diz o DJ. O outro sócio, Enéas, está otimista com a idéia de levar a festa a um público diferente. "Na Vila Olímpia, o público médio é de 20, 25 anos, diferente do que é no Centro. Lá, o pessoal viveu a década de 80. Além disso, a Trash 80´s agrada a todo mundo. Do pessoal mais novo até os pais e os tios. Também há outras casas na Vila fazendo um trabalho parecido com o nosso." Enéas cita o restaurante Na Matta Café, onde aos sábados ouve-se apenas música dos anos 80. Sobre a escolha de Ritchie para marcar a mudança de bairros, Tonyy explica que era um sonho antigo. "A gente queria levar o Ritchie à Trash, mas a capacidade da casa é apenas para 600 pessoas e o palco é pequeno". Na Tenda que fica na Rua das Olimpíadas na Vila Olímpia, o lar da outra Trash, a capacidade é de 1.500 pessoas e os shows poderão ser vistos da pista ou do camarote. "Além disso, tinha o problema de grana - trazer caras como ele não é barato", justifica. Mais do que isso, o DJ Tonyy sabe que Ritchie ficou com um pé atrás ao ser convidado. "Ele mora no Rio e estava receoso pelo nome da festa (que significa lixo, em inglês). Mas hoje sabe do sucesso e da reputação que temos", orgulha-se. Ele é o primeiro de uma lista de atrações no mínimo inusitadas e já confirmadas até o próximo mês. Sidney Magal, Gretchen e Rosana (que já deu uma canja no Centro) vão cantar seus sucessos no palco montado na tenda da Vila Olímpia. Nas picapes, o DJ Wander Yukio será o residente da filial. "O que prometo fazer na Vila é a mesma coisa que já faço na Trash: muita música nacional, performances e distribuição de brindes pro pessoal", diz. Tanto para saudosistas, quanto para quem nasceu nos anos 80... Trash 80´s na Vila Olímpia - "Tenda" (Rua das Olimpíadas, 300). Sábado, às 22h. Preços: Pista - mulher, R$ 20 + R$ 10 de consumação; homem, R$ 25 + R$ 10 de consumação. Camarote: mulher, R$ 25 + R$ 15 de consumação; homem, R$ 35 + R$ 15 de consumação. Informações e reservas: (11) 3259-6586.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.