O Festival da Música Brasileira está chegando

No dia 12 de agosto, um sábado, começam a ser veiculados os clipes das primeiras 12 músicas concorrentes do Festival da Música Brasileira, promovido pela Rede Globo. A idéia, segundo o diretor Roberto Talma, é ir tornando as canções conhecidas, estimulando a torcida e, claro, atrair audiência para o programa que vai ao ar ao vivo, direto do Credicard Hall, em São Paulo, a partir das 22h do dia 19.O procedimento se repete durante cinco semanas, antecedendo as outras três eliminatórias - dias 26 de agosto e 2 e 9 de setembro - e a final, reunindo as três melhores músicas de cada etapa, no dia 16 de setembro. A última votação será interativa. "O júri permanecerá, mas o público também poderá votar via Internet ou telefone", diz Talma.Caso haja divergência entre os especialistas e o povão, caberá aos vencedores repartir o bolo de R$ 1 milhão em prêmios, a ser dividido entre os três primeiros colocados, o melhor intérprete e o ganhador do prêmio especial do júri.Quem prestou atenção às vinhetas de apresentação dos compositores das 48 canções selecionadas já deve ter percebido que nem todas as caras são novas. Entre os candidatos, há veteranos como Chico César, Zé Renato, José Miguel Wisnick, Toninho Horta e Moacyr Luz. O carioca Moacyr justifica a presença no festival - onde concorre com o "samba metido a lundu" "Eu Só Quero Beber Água" - como uma oportunidade de ampliar seu público. "Mesmo há muito tempo na estrada, nem sempre tenho a divulgação que é possível obter num festival", diz.Zé Renato acabou animando-se com a presença do amigo. "Quando vi as primeiras notícias sobre o Festival, não me empolguei. Mas depois ouvi os colegas comentando, o Moacyr, com quem tenho trabalhado, resolveu participar. E coincidiu de eu ter composto um samba, "Bela, Doida e Distraída", em parceria com o Fausto Nilo. Então, falei, vamos lá." Já Toninho Horta aproveita a seleção de "O Amor É Para Se Amar" para lançar a filha Luisa, de 16 anos, como cantora.Embora a maior parte dos compositores vá defender suas músicas no palco, há exceções. Olívia Byington vai interpretar "Desde O Primeiro Dia", de Guile Wisnik e Chico Pinheiro. Mônica Salmaso canta "Estrela da Manhã", de Beto Furquim. Carol Saboya empresta a voz para "Imaginária", de Suely Mesquita e Mario Seve. Ná Ozzetti leva "Show", de Luiz Tatit e Fábio Tagliaferri. E Virgínia Rosa apresenta "Vão", de Dante Ozzetti.

Agencia Estado,

16 de julho de 2000 | 14h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.