AP Photo/Antonio Calanni
AP Photo/Antonio Calanni

Novo disco de Ed Sheeran dispara para o #1, quebrando um recorde mundial de streaming

Álbum 'Divide' se tornou o mais recente exemplo da revolução do streaming na indústria da música

Ben Sisario, The New York Times

14 Março 2017 | 11h11

O primeiro disco blockbuster de 2017 chegou, e é ÷ (divide), de Ed Sheeran. Um hit ao redor do mundo, ele se tornou o mais recente exemplo da revolução do streaming na música, arrasando o recorde no Spotify de mais streams em uma única semana, com 375 milhões globalmente (batendo os 223 milhões de The Weeknd, há quatro meses).

O streaming também permitiu a Sheeran dominar as paradas britânicas de um jeito que só se tornou possível com uma mudança em dezembro, que pela primeira vez permitiu que streams contribuíssem para as posições nas listas do Reino Unido. Com essa mudança nas regras, Sheeran tem nove canções no atual Top 10 britânico, enquanto que 16 canções - todas as do novo álbum - estão no Top 100. (Vendo o absurdo desse resultado, alguns profissionais da indústria aproveitaram a oportunidade para criticar o novo sistema. "Se já houve algum sinal de que o streaming está quebrando as paradas, é este", escreveu o analista de mídias digitais Mark Mulligan em seu blog.)

Mas nos Estados Unidos, a performance de ÷ como download e mesmo como disco físico em CD é um sinal de que neste momento de transição para a indústria da música os velhos formatos ainda não estão mortos. O álbum, lançado pela Atlantic, teve 135 milhões no país, de acordo com a Nielsen - um número forte, mas menos do que álbuns recentes de J. Cole (177 milhões) e The Weeknd (175 milhões), alcançados nas semanas de "abertura" de cada um, no fim do ano passado. Sheeran também vendeu 322 mil cópias de ÷ como um disco completo - 29% deles em formato físico - contribuindo para um total em "álbuns equivalentes" de 451 mil.

Também nesta semana, Hardwired... To Self-Destruct, do Metallica (Blackened), pulou 12 posições para o #2 graças a uma promoção de vendas do disco com ingressos para a turnê da banda. 24K Magic, de Bruno Mars (Atlantic), manteve o terceiro lugar, e os dois álbuns de Future, lançados pela Epic, ocupam as duas posições seguintes da tabela. / Tradução Guilherme Sobota - O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.