Novo clipe de Madonna é censurado nos EUA

Ooops, she did it again! Madonna mais uma vez é banida da TV americana. O novo videoclipe da pop star, What If Feels Like For a Girl, dirigido pelo marido dela, Guy Ritchie, vai ser exibido apenas uma vez pela MTV e sua subsidiária, o VH-1. A emissora alega que o trabalho é muito violento para entrar na programação normal.Se tudo der certo, Madonna tem outro megahit nas mãos. Em 1990, ela foi censurada pela primeira vez por conta do clipe Justify My Love, dirigido por Jean Baptiste Mondino, em que ela passeava pelo corredor de um hotel cheio de "perversões sexuais". A MTV recusou se a apresentar o clipe, fato que ganhou ampla cobertura da imprensa americana e foi lançado no mercado. O resultado foram 400 mil cópias vendidas em poucas semanas e muita publicidade para a compilação The Immaculate Collection, um de seus discos mais vendidos nos Estados Unidos. Dois anos mais tarde, foi a vez de Erotica, uma edição das imagens criadas por Steven Meisel para o polêmico livro Sex.Em 1998, o veto não teve nada a ver com sexo, mas com a discussão em torno do assédio dos paparazzi. No vídeo para Drowning/Substitute For Love, ela dá uma de princesa Diana e é perseguida por fotógrafos por uma cidade que se parece com Paris. O vídeo inclui até uma passagem por uma porta rotatória, que lembra a última imagem da princesa, saindo do hotel Ritz, antes do acidente de 1997. A emissora achou o trabalho inapropriado para sua programação e simplesmente ignorou o vídeo. Madonna acabou concordando e incluiu o clipe em uma compilação em DVD lançada no ano passado.O problema agora é a violência. Em What It Feels Like For a Girl, o cineasta responsável por "festivais de tiros" como Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes e Snatch resolveu apresentar Madonna como "uma mulher que foi abusada". "Há muita violência no clipe", admite a assessora de Madonna, Liz Rosenberg. "É bem forte e provavelmente não deveria ser o último clipe que você assiste antes de dormir."Os executivos da MTV não querem colocar o vídeo na programação por conta das cenas em que Madonna dá tiros nos lugares, bem ao estilo dos filmes do marido. Eles pretendem exibir o clipe apenas uma vez, logo após um segmento noticioso. "Achamos que há uma chance de eles mudarem de idéia", diz Rosenberg. "Gostaríamos muito que eles se comprometessem a exibir o vídeo normalmente." A controvérsia com certeza deve dar mais um impulso no disco Music, o mais vendido da cantora nos últimos anos. O sucesso da parceria com Ritchie pode acelerar o que pode ser o próximo grande projeto de Madonna: um longa-metragem dirigido por ele e estrelado por ela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.