Novo CD do Coldplay vende 125 mil cópias em um dia

Após estréia no Reino Unido, especialistas dizem que 'Viva La Vida' pode alcançar topo de vendas no domingo

Mike Collett-White, da Reuters,

13 de junho de 2008 | 13h15

O Coldplay vendeu 125 mil cópias de seu novo disco no primeiro dia do lançamento no Reino Unido, um número significativo que, segundo especialistas do setor, deve soar como música aos ouvidos da banda e de seu selo, a hoje fragilizada EMI.   Veja também: Novo disco do Coldplay bate recordes antes de chegar às lojas Problemas de produção atrasam turnê do Coldplay nos EUA Viva La Vida or Death And All His Friends agora deve "com certeza" chegar ao topo das vendagens no domingo, segundo a The Official Charts Company, que acompanha a venda de discos. E isso mesmo diante do fato de ter sido lançado em uma quinta-feira, e não no começo da semana, conforme a praxe. "O Coldplay é uma banda internacional e o desempenho deles no Reino Unido é um primeiro indício sobre como o disco será recebido. A EMI vai ficar muito satisfeita", disse Martin Talbot, diretor-executivo da The Official Charts Company. O X&Y, último disco do Coldplay e o mais bem-sucedido da banda até agora, venceu 465 mil cópias na primeira semana de lançamento, no Reino Unido. A EMI e o presidente dela, Guy Hands, voltam suas atenções agora para o maior mercado do mundo, os EUA, um indicador mais importante sobre como será o desempenho do disco. Viva la Vida começa a ser vendido para os norte-americanos na próxima semana. A banda se mostrou aliviada com o fato de ter chegado ao fim o processo de gravação de um dos discos mais aguardados do ano. "Nós nos sentimos muito aliviados com o fato de o disco ter sido finalmente lançado", afirmou o Coldplay em seu site. "Agora isso não está mais nas nossas mãos. Isso não nos pertence mais." Fim de entrevista O vocalista da banda, Chris Martin, casado com a estrela de Hollywood Gwyneth Paltrow, deu sinais de desconforto ao falar sobre o disco em uma série de entrevistas concedidas a rádios nesta semana. Na quinta, Martin saiu no meio de uma entrevista à Rádio 4, da BBC, afirmando não estar "gostando nada disso" e acusando o entrevistador de "distorcer" as palavras dele. O vocalista também não concordou com o fato de alguns terem descrito o novo disco como "mórbido". A EMI, a menor dos quatro grandes selos de música do mundo, perdeu dois de seus maiores nomes em 2007 - Paul McCartney e o Radiohead - e os agentes do Coldplay e de Robbie Williams também sugeriram que esses artistas poderiam abandonar a gravadora. As estrelas da música pop vêm estudando alternativas aos contratos tradicionais em um mundo no qual a pirataria via Internet e a venda cada vez menor de CDs fizeram das turnês e das campanhas publicitárias atividades mais lucrativas do que a música em si. McCartney criou uma joint venture com a cadeia de cafeterias Starbucks ao passo que o Radiohead lançou seu disco (In Rainbows) mais recente na Internet, possibilitando aos fãs pagarem o quanto quisessem. Da mesma forma que outras gravadoras, a EMI tenta criar novos modelos de distribuição de música digital a fim de sobreviver à queda no volume de vendas de CDs.

Tudo o que sabemos sobre:
Coldplay

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.