Novo álbum dos Paralamas chega na sexta

Há uma cover de Paul Weller, líder domítico grupo The Jam, a canção Runnin on the Spot,esmerilhada com a estranheza de um grupo de punk rock galês. Háum velho cúmplice internacional tocando mellotron na faixaFlores e Espinhos, o argentino Fito Paez. Há a permanênciado senso perfeito do pop rock, nos versos e nos riffs deguitarra e bateria. Todos os elementos estão ali, mas osParalamas não estão ainda com o velho timing em dia, é o quedenuncia o novo disco Longo Caminho (EMI, nas lojas a partirde sexta-feira). Falta só equilibrar a mistura.À exceção de O Calibre, que tem uma guitarrinhazeppeliniana e uma pegada mais roqueira, as novas canções sãoarrastadas e excessivamente dramáticas, tornando o disco umpouco triste e lamentoso. É o caso da faixa-título, LongoCaminho. Claro, ninguém esperava uma sinfonia carnavalesca,mas os Paralamas cultivaram uma tradição de música para animarbailes que não compareceu aqui.Tirando essa ponderação, há grandes achados. Herbertcompôs uma baladinha em inglês, Hinchley Pond. Ele cantatambém em espanhol (La Estación) e demonstra - para mais umpouquinho da nossa estupefação - que não esqueceu nenhuma dasduas línguas que domina.Há uma sucessão de frases que parecem proféticas, seconsiderarmos que o cantor as escreveu antes do trágicoacidente. "Há dias de prazer e dias ruins/ Já não sou mais quemera antes/ Há algo de você ainda em mim/ Como uma músicadistante" (Longo Caminho). Ou: "O impossível é meu maisantigo vício/ Ou então, um delírio do meu coração" (Flores noDeserto). Ou ainda: "Palavras duras em voz de veludo/ E tudomuda/ Adeus, velho mundo/ Há um segundo tudo estava em paz"(Cuide bem do Seu Amor).Mas isso é mero exercício de gente impressionada.Gravado de um só folêgo no Estúdio AR, no Rio, um ano após oacidente, o álbum mostra que a recuperação de Herbert éprogressiva e falta apenas um ou outro detalhe para que todo opuzzle fique completo. Herbert está cantando melhor do que antes, com a voz potente. Ele ainda dedica uma das músicas do CD aoutro companheiro de infortúnio, Marcelo Yuka (Flores noDeserto).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.