Matt Sayles/Invision/AP
Matt Sayles/Invision/AP

Novo álbum de Prince traz o cantor sozinho, ao piano, em sua casa

'Piano & A Microphone 1983' será lançado nesta sexta-feira, 21

Jeff Baenen, AP

18 Setembro 2018 | 16h32

Os fãs de Prince que esperam escutar sua habitual guitarra cheia de efeitos podem se surpreender com um dos primeiros álbuns oficiais lançados desde a sua morte, há mais de dois anos, no qual ele aparece tocando piano e num ritmo de jazz. 

Piano & A Microphone 1983 traz Prince simplesmente improvisando em frente a um piano, cantando Purple Rain e outras canções numa gravação única feita num estúdio em sua casa há 35 anos. A Warner Bros. Records vai lançá-la em formatos de CD, vinil e digital nesta sexta-feira, 21.

Em uma fita cassete, a gravação de 35 minutos volta ao ponto de partida da música de Prince, segundo Try Carter, assessor do patrimônio do artista. Prince estava no meio da turnê Piano & A Microphone quando, aos 57 anos, teve um colapso e morreu de uma overdose acidental de fentanil em sua casa-estúdio, Paisley Park, no Estado norte-americano de Mineápolis, em 21 de abril de 2016, uma semana depois de fazer um show em Atlanta. 

"Foi simplesmente alucinante ouvir esta interpretação crua e simples", lembrou Carter. "Senti que o passo correto a se seguir era permitir que o mundo ouvisse esta versão." Ele a qualifica como uma "sessão de improviso", voltada aos amantes de música, e não a fanáticos. 

Exceto por alguns trechos, a gravação soa limpa e é apresentada do começo ao fim como Prince a gravou em sua casa em Chanhassen, no Minessota, que hoje está demolida, uns anos antes de seu bem sucedido filme e trilha sonora de 1984, Purple Rain

Prince apresenta 17 Days, lado B do sucesso When Doves Cry, uma rápida Purple Rain, que mais tarde se tornaria seu clássico da guitarra; A Case of You, de Joni Mitchell, International Lover de seu disco de 1982, 1999 e Strange Relationship, que não lançou oficialmente até seu álbum de 1987, Sign 'O' the Times. Ele improvisa riffs e recorre às teclas do piano enquanto canta com sua voz forte e clara.

Um dos destaques é uma apresentação apaixonada de Mary Don't You Weep, canção espiritual afroamericana que esteve nos créditos de encerramento do filme Infiltrado na Klan, sobre um policial negro em Colorado que se infiltrou na Ku Klux Klan nos anos 1970. Carter afirma que mostrou a música a Lee quando o cineasta o convidou a uma exibição prévia do filme. "Lee disse, 'acredito que isto é perfeito para o filme"', lembra Carter. 

A música, também cantada por Aretha Franklin e os Swan Silvertones, vem após o encerramento do filme, que termina com imagens atuais de nacionalistas brancos com tochas numa manifestação em Charlottesville, na Virgínia, e um veículo atropelando manifestantes contrários e matando uma mulher no ano passado. 

Prince também soa alegre em Cold Coffee & Cocaine, em que baixa o tom da sua voz a algo parecido ao estilo de Miles Davis. Um prazer verdadeiro é a última música do disco, Why the Butterflies, com Prince tocando o piano e cantando suavemente. 

A fita cassete esteve em circulação por anos, mas com um som de qualidade inferior. 

Mais conteúdo sobre:
Prince

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.