Nove cantoras cantam Chico Buarque

Ser cantado por mulheres é uma situação freqüente na vida de Chico Buarque. Mais que pelo feitiço de seus olhos claros, e além das altas doses de poesia que seus assédios devem ter, o criador de Cecília tem sempre a seus pés, nas primeiras filas das casas de shows, mulheres que choram, gritam e jogam ao palco bilhetes apaixonados. Entende uma corrente de estudiosos de sua obra que o compositor consegue seu desempenho de sex symbol das letras por saber se colocar na pele feminina com uma técnica singular. Se a teoria é ou não viagem acadêmica, que respondam as próprias beldades. Nove mulheres se unirão para virar Chico Buarque ao avesso. Elas estarão amanhã, no novo Tom Brasil, interpretando canções com as quais se identificam ou que as ?pegaram? em algum momento de suas vidas. A lista inclui Ana Carolina, Elba Ramalho, Jane Duboc, Wanderléa, Mart?nália, Fernanda Abreu, Sandra de Sá, Zélia Duncan e Zizi Possi. Cada uma escolheu duas músicas do cancioneiro buarquiano que farão em números-solo e ao estilo banquinho e violão. Ao final, voltam ao palco para cantarem juntas Gota D?água e Vai Levando. Elias Andreato assina a direção de um show que tem também razões filantrópicas. A renda terá como destino instituições como as ONGs Care Brasil, Turma do Bem e Graacc. As cantoras cederam seus cachês, assim como a ator Fábio Assumpção, responsável pela discotecagem que irá anteceder o show. Na venda de convites trabalharam artistas como Tarcísio Filho, Fernanda Nigro, Michele Matalon, Beth Prado e Ricardo Almeida. Leia mais

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.