Nova morada para o jazz

Um complexo com dois auditórios, jazz café, dois estúdios de ensaio e uma sala de aula, com estrutura especial para transmissões ao vivo pela Internet e pela televisão. Assim será a nova casa do Lincoln Center, a única do mundo especialmente construída para exibir concertos de jazz. A intenção dos organizadores do empreendimento é criar um espaço onde se toque o gênero 365 dias ao ano. A nova morada do Jazz foi desenhada por Rafael Vinoly, arquiteto que assinou o projeto do novo teatro da Philadelphia Orchestra, o Philadelphia Regional Performing Arts Center. A motivação dos diretores do Lincoln Center é uma reclamação muito comum entre os jazzistas: as casas tradicionais de concerto foram construídas para abrigar espetáculos de música clássica, e a longa reverberação produzida nesse tipo de espaço faz com que os instrumentos tradicionais do jazz soem com muito eco. A construção será iniciada em abril de 2001. O prazo para que o novo centro fique pronto é 2003. A expectativa é de que a casa seja usada para produções do próprio Lincoln Center três meses ao ano. No restante, que o espaço seja alugado para companhias de dança, espetáculos de world music e programas de música clássica. O teatro tem mesmo tamanho do centro multicultural que, em 1997, o Lincoln Center pretendia construir na esquina da Broadway com a 64th Street, plano depois abandonado pela direção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.