Nova montagem de <i>João e Maria</i> estréia no Municipal

A montagem da ópera João e Maria, de Humperdinck, assinada pela dupla Jamil Maluf e Flávio de Sousa, reestréia neste sábado no Teatro Municipal de São Paulo. A produção, que teve sua primeira temporada em 2002, transformou-se no grande sucesso da programação dos últimos anos do teatro, ganhando - fato inédito na história recente da ópera paulistana - três temporadas com ingressos esgotados, sendo uma delas no Municipal do Rio de Janeiro.João e Maria é a recriação do conto dos Irmãos Grimm. E a produção surgiu em 2002 como uma tentativa de atrair um novo público para a ópera - as crianças. Ninguém melhor para a tarefa que o diretor Flávio de Sousa, um dos criadores do Castelo Rá-Tim-Bum, que soube manter a magia da história original, dando ritmo ao espetáculo e trabalhando bastante com a caracterização de cada personagem. Ao mesmo tempo, porém, o diretor brinca a todo momento com o universo dos contos de fada, provocando risos e reações de platéias de todas as idades.Neste sentido, ajuda a música de Humperdinck. Partitura sofisticada, que em alguns momentos utiliza quatro temas diferentes, como ressalta o maestro Maluf, ela jamais soa excessiva, confusa, pesada, e está repleta de brincadeiras, como a Cavalgada das Bruxas, alusão à Cavalgada das Valquírias de Richard Wagner, cuja influência é sentida a todo momento na obra. "Trata-se de uma ópera apaixonante, que prende o ouvinte do começo ao fim por ser dona de uma estrutura completa e ao mesmo tempo acessível ao público", diz Maluf.No final das contas, é difícil dizer o que funciona melhor na produção: a dupla de protagonistas recriada pela meio-soprano Denise de Freitas e a soprano Andréa Ferreira; a impagável bruxa de Regina Elena Mesquita; a regência sensível de Jamil Maluf à frente da Orquestra Experimental de Repertório; a tradução do libreto para o português, preparada pelo maestro em parceria com Dante Pignatari; a bem-humorada e inteligente adaptação de Flávio de Sousa; as técnicas do Teatro Negro da Cia. Imago, do diretor Fernando Anhê, outro especialista em espetáculos para crianças, como a adaptação da ópera A Flauta Mágica, de Mozart, que está em cartaz no Teatro Alfa até o dia 17.Com relação à estréia, há duas mudanças no elenco: a meio-soprano Luciana Bueno e o barítono Paulo Szot, originalmente a mãe e o pai das crianças, cedem lugar a Celine Imbert e Leonardo Neiva. No mais, as sopranos Guiomar Milan e Edna D´Oliveira retornam como o Gênio do Sono e a Fada do Orvalho. João e Maria. Teatro Municipal. Praça Ramos de Azevedo, s/n.º, Centro, 3222-8698. Sáb. (9) e dom. (17), 17 h; 2.ª, 4.ª e 6.ª (15), 19h30. R$ 10 a R$ 30 (2.ª, R$ 10 a R$ 15)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.