Norah Jones faz dois shows com ingressos esgotados

Norah Jones inicia a passagem pelo Brasil de sua turnê latino-americana hoje em São Paulo, no Via Funchal, onde toca também amanhã. Os ingressos para as duas apresentações, cujo valor varia de R$ 100 a R$ 380, já estão esgotados. No sábado, a cantora segue para Belo Horizonte, na segunda-feira ela toca em Porto Alegre e na terça-feira faz o último show no País no Rio de Janeiro. Como consolação para quem perder a oportunidade de vê-la ao vivo, está nas lojas o DVD Norah Jones and The Handsome Band - Live in 2004. É basicamente o mesmo show que ela vai fazer por aqui, mas sem a participação de convidados como a dupla Gillian Welch & David Rawlings e a cantora country Dolly Parton, que marcaram presença animadora nas apresentações de Norah em agosto no Ryman Auditorium, de Nashville. Quem vem abrir seus shows é Jesse Harris, autor de Don´t Know Why, um dos maiores hits da cantora. Nascida no bairro do Brooklyn, em Nova York, Norah teve pouco contato com o pai, o músico Ravi Shankar, e cresceu em Dallas, no Texas, ouvindo os ídolos da mãe: Willie Nelson, Hank Williams, Johnny Cash, Aretha Franklin, Ray Charles, Otis Redding e as divas Sarah Vaughan, Dinah Washington e Billie Holiday. Aprendeu jazz no colégio e ficou obcecada pelo som de Miles Davis, John Coltrane, Keith Jarrett, Bill Evans. Vem daí uma indefinição de estilo, que equilibra acentos jazzísticos, elementos de rhythm´n´blues, folk e country music. "Acabei me tornando uma outra coisa, mas essas são as bases das minhas influências", diz. Alheia à baboseira sonora que trilhou a formação de suas contemporâneas (ela tem um ano e meio a mais do que Britney Spears), alcançou o sucesso instantâneo e planetário já no primeiro disco-solo. Além da invejável marca de 18 milhões de cópias vendidas do CD de estréia, Come Away With Me (2002), abocanhou todos os oito prêmios Grammy a que o disco foi indicado, nas principais categorias, batendo recorde absoluto. O disco atual, Feels Like Home, está na casa dos 8 milhões. A título de curiosidade, ela gosta de ir a bares beber cerveja e jogar sinuca com os amigos da banda (a Handsome Band é formada pelos guitarristas Adam Levy e Robbie McIntosh, o baixista Lee Alexander, o baterista Andrew Borger e a vocalista Daru Oda, melhor amiga de Norah), acha melhor dormir nos ônibus do que em casa, e costuma incluir nos shows músicas de grupos de rock dos anos 70, como AC/DC. Só que, como explica McIntosh, a maneira de tocar essas canções não segue a rigidez rítmica do rock. Na banda são todos guiados pelo que Norah faz ao piano e com a voz. E como quase nada nela é o que parece, embora os arranjos não tenham variações marcantes do disco para o palco, não são exatamente iguais. "Não sou do tipo que toca a mesma coisa a noite inteira, senão ficaria entediada. Por isso acrescentamos coisas para ficar divertido." Norah Jones - Via Funchal. Rua Funchal, 65, Vila Olímpia, tel. 3038-6698. Hoje e amanhã, às 21h30. Ingressos: R$ 100 a R$ 380, esgotados. www.viafunchal.com.br.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.