Norah Jones e Usher animam a indústria fonográfica

O mercado fonográfico se anima. Desde 2001, com o sucesso de ´N Sync, nenhum disco conseguia bater a marca de 1 milhão de cópias em sua primeira semana. Agora, com Norah Jones e Usher, o mercado dá sinais de recuperação. Norah, no mês passado, foi a primeira a bater a marca, com o lançamento de Feels Like Home. Esta semana, foi a vez do cantor de R&B: seu Confessions teve 1,1 milhão de cópias vendidas, conforme anúncio da Arista Records.Ainda é cedo para comemorar. As gravadoras continuam amargando as conseqüências dos sucessivos maus resultados dos últimos. Esta semana, a EMI - uma das cinco grandes, ao lado de Universal, Warner, BMG, Sony, - anunciou a demissão de 1,5 mil funcionários e de 20% de seus artistas, como parte de sua reestruturação. A própria Arista Records, que com as vendas de Confessions estabeleu seu novo recorde em 30 anos, passa por mudanças profundas. Pertencente à BMG, a Arista foi englobada por outro selo da major, o RCA. Para a fusão, foi a anunciada a dispensa de uma série de artistas de seu catálogo.Continua também a campanha contra a pirataria, vilão apontado pela indústria pela queda nas vendas. Esta semana, mais 247 pessoas foram denunciadas formalmente por cópias ilegais de músicas via internet. Apesar de tudo, há quem veja nos resultados de Norah Jones e Usher sinais de que a indústria está retomando o fôlego, e as vendas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.