Nome de maestro é causa de polêmica

A viúva do maestro Eleazar de Carvalho, Sônia Muniz, nega que tenha impedido a Orquestra Petrobrás Pró-Música de usar o nome de seu marido no concurso para jovens regentes que promove este ano. "Só estou esperando um pedido por escrito para mandar a autorização oficial", explicou. "Procuramos a Petrobrás porque soubemos do concurso e do nome pela imprensa e achamos que deveríamos ter sido consultados antes. Na reunião, que tivemos com a Pró-Música, disse ao filho do Armando Prazeres (Carlos Eduardo, diretor da Pró-Música) que a homenagem me emocionava, dei aprovação verbal e fiquei esperando o pedido formal", diz Sônia. Sônia conta que a conversa aconteceu há cerca de dois meses e, logo em seguida, ela viajou para Fortaleza, para organizar um festival com o nome de Eleazar de Carvalho, e só voltou ontem. "Mesmo tendo a intenção de fazer um concurso nos mesmos moldes no ano que vem, creio que toda homenagem ao Eleazar é importante. Só estou esperando o pedido oficial para dar a autorização por escrito. Era isso que havia sido combinado."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.