No fim de semana, bom samba em dois grandes shows

Dois grandes shows do bom e velho samba ocorrem nesse fim de semana e prometem esquentar as frias noites paulistanas. A velha guarda mais uma vez abre alas para os novos talentos passarem pelo Auditório Ibirapuera, no show "A Gosto do Samba", que estréia nesta sexta-feira e vai até domingo. Os sambistas consagrados Nei Lopes, Monarco da Portela e Almir Guineto convidam Leci Brandão, Fabiana Cozza, Paulão 7 Cordas e Quinteto em Branco e Preto para dividir o palco nos três dias.Já no Sesc Pompéia, somente nesta sexta-feira e no sábado, ocorre também um grande show em homenagem a três gerações do samba: a dupla Bide e Marçal (1902-1947), Mestre Marçal (1930-1994) e Marçalzinho, que será acompanhado por percussionistas e compositores do peso de Wilson das Neves, Moacyr Luz e Wanderley Monteiro. A bela e suave voz da cantora Juliana Amaral vai dar o tom, nos dois dias, em canções como "Agora É Cinza" e "Violão Amigo", de Bide e Marçal, e "Meu Sofrer", de Noel Rosa. O repertório, todo escolhido por Wanderley Monteiro, passeia por muitas das canções gravadas pelo "coroa" de Marçalzinho, como ele se refere ao pai - músicas de Sereno, Arlindo Cruz, Sombrinha e Candeia, entre outros bambas."Desde sexta-feira passada, quando fizemos um ensaio no Rio, a minha adrenalina está alta por causa da responsabilidade que é fazer esse show", diz Marçalzinho. A homenagem, não só ao pai como ao avô, nasceu a partir de uma conversa com um amigo em comum entre todos os outros bambas, o produtor Augusto Diniz. "Tenho de agradecer a ele pelo resto da vida, principalmente pelo carinho que ele tinha pelo ´coroa´."Essas lendas do samba, mais uma vez, frisam o orgulho e a felicidade que sentem ao ver jovens na platéia cantando verso a verso de músicas que datam de alguns vários anos atrás. "É uma satisfação imensa fazer um show para essa garotada que gosta de ouvir e cantar músicas da época em que nem pensavam ainda em nascer", diverte-se o carioca radicado em São Paulo há 37 anos, Almir Guineto. Cada músico que se apresentará no Auditório Ibirapuera vai cantar de cinco a seis temas sozinho e, logo em seguida, passará a bola para o próximo convidado, podendo ou não fazer um dueto. Nei Lopes, por exemplo, vai apresentar Fabiana Cozza e, antes de ele deixar o palco, cantarão juntos. "Para mim, estar no palco com todos esses grandes nomes é motivo de muito orgulho", diz a cantora, que atualmente defende os candidatos Renato Epstein, de São Paulo, e Leandro Medina, do Pará, na 9º edição do Prêmio Visa. Marçal, uma Dinastia do Samba. 18 anos. Sesc Pompéia. Rua Clélia, 93, 3871-7700. Hoje e amanhã, 21 h. R$ 7,50 a R$ 15A Gosto do Samba. Auditório do Ibirapuera. Av. Pedro Álvares Cabral, s/n.º, 5908-4290. Hoje a dom., 20 h. R$ 30

Agencia Estado,

04 de agosto de 2006 | 12h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.