Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

No dia do pop, Ultraje a Rigor e Erasmo Carlos levam meia dúzia de guitarras ao Rock in Rio

Apresentação enfileirou clássicos de cada artista; microfone do Tremendão, que ficou com volume baixo durante show, não ajudou

O Estado de S. Paulo

26 de setembro de 2015 | 17h51

Com uma camiseta estampando um verso de Inútil ('a gente não sabemos escolher presidente') e abraçado a Erasmo Carlos, Roger e o Ultraje a Rigor voltaram ao palco do Rock in Rio depois de participar da primeira edição em 1985. 

Não houve críticas nominais a nenhum político em especial, mas Roger disse que "essa é pros caras que estão fazendo a gente pagar a conta" entre Inútil, que começou o set do Ultraje, e a música Filho da P***.

O Rock n' Roll do Ultraje é o mesmo de sempre e isso é bom: todo mundo gosta, pula e canta do início ao fim.

Quando ele chamou de volta Erasmo, o público entoou: Tremendão! Tremendão!"

Erasmo cantou Ciúme e a sensação é que o mixador poderia ter dado uma ajudinha e aumentado o volume do seu microfone - o que durou até o fim do show. Em É Proibido Fumar, a voz do Tremendão era inaudível até na beirada do palco.

Num dia de fenômenos globais do pop, o Rock n' Roll oitentista do Ultraje e a fileira de clássicos da Jovem Guarda de Erasmo - que quando se uniam juntavam meia dúzia de guitarras no palco - divertiram tanto os jovens fãs de Rihanna quanto os numerosos pais e mães que os acompanhavam. Uma festa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.