Nnenna Frellon canta hoje no Montreaux Jazz

O show do Comboio Brasil, ontem, na segunda noite do Montreaux Jazz Festival reuniu pela primeira vez músicos que normalmente acompanham Ney Matogrosso, Gilberto Gil, entre outros, mas não chegou a empolgar a platéia. O sexteto é formado por Márcio Montarroyos (trompete), Zé Nogueira (saxofone), Arthur Maia (contra-baixo), Leandro Braga (piano), Ricardo Silveira (guitarra) e Cláudio Infante (bateria).O show teve bons e maus momentos. Zé Nogueira acertou em cheio ao tocar Pedacinho do Céu, composição de Tom Jobim. Ao lado apenas do pianista Leandro Braga, deliciou o público com uma interpretação cheia de vida e sentimento. A proposta era a de que os instrumentistas mostrassem suas composições. Uma das melhores foi Bom de Tocar, do guitarrista Ricardo Silveira. Tema simples, tocado em trio, com belo solo de Arthur Maia.Maia, o baixista de Gilberto Gil, lá pela oitava música, resolveu apresentar, primeiro sua versão solo para Hey Jude, dos Beatles, e logo após, a composição escrita para a filha, Juju. Acostumado aos shows de Gil, nos quais interage com a platéia, o baixista insistia a cada quinze segundos para que os presentes batessem palmas, sem conseguir despertar o entusiasmo da platéia.Hoje, o Montreaux Jazz Festival, evento que integra a programação do Suíça 2000, apresenta a cantora norte-americana Nnenna Frellon e o trometista suíço Franco Ambrosetti, às 22h, no Bourbon Street Music Club. No Teatro Municipal, para quem perdeu na segunda-feira, T.S Monk e Malcolm Braff, que abriram o festivam, se apresentam novamente hoje, a partir das 22h.Festival de Jazz de Montreaux ? Edição Brasil 2000 ? Bourbon Street Music Club ? Rua dos Chanés, 217, Moema, tel.: 5561-1643

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.