Wilton Junior/estadão
Wilton Junior/estadão

Nightwish tenta, mas só empolga quem gosta do gargarejo no festival

Metal sinfônico teve recepção morna em dia eclético no Rock in Rio

Pedro Antunes , O Estado de S. Paulo

25 de setembro de 2015 | 21h00

Em um dia tão eclético, com gêneros e mais gêneros de heavy metal enfileirados no Palco Sunset, o Nightwish, banda finlandesa  que soa como uma orquestra demoníaca, pareceu ser incapaz de animar outros fãs que não aqueles mais próximos ao gargarejo. 

Em um festival da dimensão do Rock in Rio, isso pode ser fatal. E foi, no caso. Quando Magic!, veja só, se apresentou no mesmo espaço e horário, era difícil encontrar um espaço para parar e assistir ao show. Mesmo com aquele reggae plastificado deles. Há mais o que fazer na Cidade do Rock, caso a música não agrade. E quem pagou o preço foi o Nightwish.

Canção grandiosa como Stargazers se perde porque não é rebatida com tanta força pelo lado de cá. Ruim também para Tony Kakko, escalado para se juntar a banda, como o conceito do Sunset pede. A balada The Islander, com voz e violão, quase somiu.

Não foi por falta de tentativas de Floor Jansen, atual vocalista do grupo. Sua voz lírica sabe acrescentar o caráter épico à canções como Ghost Love Score, mas o dia não foi do Nightwish, definitivamente.

Tudo o que sabemos sobre:
rock in riomusicanightwish

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.