Ney Matogrosso requebra em São Paulo

O cantor Ney Matogrosso talvez seja o último grande astro da MPB que ainda não havia tocado para os paulistanos na Praça da Paz, no Parque do Ibirapuera. Local que já recebeu os maiores e mais diferentes artistas, tem sido palco do evento Pão Music 2000, que comemora os 500 anos do nosso descobrimento promovendo encontros entre feras nacionais e estrelas da músicas portuguesa. Nas areias de Ipanema e no gramado do parque onde Ney pisa neste fim de semana com a lusitana Marta Dias, já estiveram gente como Gal Costa e Madredeus, Marisa Monte com Velha Guarda da Portela e Cesária Évora, Gilberto Gil com Maria João e Mário Laginha. Este último show aconteceu dia 30 de julho e atraiu mais de 100 mil pessoas ao parque, segundo a organização do evento.Para os shows de Ipanema e do Ibirapuera, Ney Matogrosso promete voltar à boa forma e trazer performances com o bom folêgo que marcou sua turnê do CD Vivo. O repertório de seu show traz músicas dos tempos do Secos & Molhados, como Balada do Louco e Mulher Barriguda, e diversas interpretações bem particulares, desde Mesmo que Seja Eu, dos tremendões Roberto e Erasmo Carlos, e Metamorfose Ambulante, de Raul Seixas.Como fator modernizante, Ney brinda o público com Miséria no Japão, de Pedro Luís, e A Balada do Cachorro Louco, de Lenine, Lula Queiroga e Chico Neves. Ney ainda tem na manga uma homenagem à Cazuza, anunciada em canções como Poema, composta em parceria com Frejat, Exagerado e Pro Dia Nascer Feliz.Fado e Soul - A portuguesa Marta Dias promete surpreender com o show que faz ao lado de Ney Matogrosso neste Domingo. Seu repertório é constituído principalmente de músicas de seu último CD, Aqui.Inspirado sobretudo na música portuguesa, o show de Marta traz algumas canções com um fado mais orgânico que o habitual poruguês, daquela tristeza distante, oriunda da saudade. Quase Fado e Sou Tua são bons exemplos dessas onoridade que deve embalar o público. Ao mesmo tempo, Marta Dias não esconde que em sua voz há inspirações americanas, como funk, rap e, principalmente, soul. Em Toxidade, primeiro single do álbum Aqui, mostra bem essa versatilidade, também refletida em canções como Agora Baixou o Sol e Eu Contigo, que devem estar no show do Ibirapuera.E para quem acha que a cantora, que já grava seu terceiro CD, é uma desconhecida para as referências nacionais, Marta já teve parcerias com Elba Ramalho e Nina Miranda, além de Aqui ter sido produzido pelo brasileiro Leleo, que já trabalhou com Adriana Calcanhoto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.