Neto de Wagner deixa festival de ópera e instaura crise familiar

O neto de Richard Wagner concordou emdeixar o comando do festival alemão de Wagner em agosto, após57 anos no cargo, informou um porta-voz na terça-feira,anunciando uma decisão que pode encerrar uma batalha familiarépica. Em uma polêmica que a mídia vem chamando de "guerra dosprimos", três bisnetas de Richard Wagner lutaram por anos pelodireito de suceder Wolfgang Wagner, 88 anos, que até então serecusava a deixar o festival que ele liderava desde 1951. "Wolfgang Wagner decidiu...que é hora de passar aresponsabilidade", disse o porta-voz do festival de ópera nacidade alemã ao sul de Bayreuth. Wagner escreveu uma carta à Fundação Richard Wagner, quetem a palavra final no festival, dizendo que ele gostaria dedeixar o posto no final de agosto. Wagner surpreendeu os fãs de ópera algumas semanas atrás aoindicar pela primeira vez que poderia renunciar. Ele tambémdeixou claro seu desejo de deixar no lugar a filha de seuprimeiro casamento, Eva Wagner-Pasquier, 63 anos, e outra filhabem mais jovem, Katharina, 29 anos, para comandarem juntas oevento. A mídia diz que as duas mulheres são rivais e não conversamhá anos. Mas Katharina chegou a dizer este mês que as duasvoltaram a se aproximar no ano passado, após a morte da segundamulher de Wolfgang, Gudrun, mãe de Katharina. Enquanto a tensão permanece entre Eva e Katharina, a primadas duas meia-irmãs, Nike, 62 anos, também deixou claro queaspira por uma chance de liderar o festival. O porta-voz do evento disse que os membros da Fundaçãoestavam otimistas de que iriam achar uma solução para o impassenos próximos meses. Richard Wagner inaugurou a casa de ópera em Bayreuth em1876 após procurar em vão por um local grande o suficiente paraóperas épicas como seu ciclo de quatro partes "O Anel". A demanda para o festival anual é tão alta que os fãsprecisam esperar até 10 anos para um ingresso. (Por Kerstin Gehmlich)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.