Nenhum sinal para relançar a biografia proibida

Noel Rosa 100 Anos

Julio Maria,

11 de dezembro de 2010 | 02h57

João Máximo fez um mergulho profundo quando decidiu biografar Noel Rosa com o parceiro Carlos Didier. Tão profundo que os problemas emergiram. Com a proibição do livro conseguida na Justiça pelas herdeiras de Noel, a dupla se distanciou e o centenário do sambista passou sem uma reedição da obra.

Sobre a briga na Justiça com as herdeiras, Máximo conta: "Elas já nos processaram três vezes e perderam as três. Uma porque falamos que o pai do Noel se suicidou. Mas isso é fato sabido, não é uma novidade. Aí perderam e partiram para uma história de que Noel não teria casado com a mulher dele (Lindaura). Mas há até uma certidão de casamento. E o terceiro problema, mais recente, foi nós termos falado que a avó se suicidou, o que foi algo que saiu em jornais da época. Elas alegam que esses fatos foram uma invasão da privacidade da família."

Máximo diz que não pretende relançar o livro, mas reconhece que faltou uma negociação com a família que poderia ter sido feita por uma editora. "Isso teria de ser feito há dois anos para um possível relançamento."

 

NOEL ROSA - UMA BIOGRAFIA

Livro está proibido desde 2004 pela Justiça, a pedido de herdeiros de Noel

Tudo o que sabemos sobre:
Caderno 2Noel RosaEspecial100 Anos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.