Nenhum de Nós volta com álbum de inéditas

O caminho natural de uma banda de rock que deseja voltar às paradas depois de passar uma década em hibernação é sempre o mesmo: empilhar seus hits em um disco acústico e levar os próximos dois anos vivendo de glórias passadas. Só pelo fato de não pegarem esta estrada, os gaúchos do Nenhum de Nós já saem em vantagem. Criadores de um punhado de boas canções, eles reaparecem dos pampas com um disco de músicas inéditas. Para bem da própria carreira, desvencilham-se de suas estrelas maiores, Astronauta de Mármore e Camila Camila, e recusam o autoplágio.Encontrar a fórmula de sucessos não quer dizer aqui romper com o velho estilo folk que os rapazes assumiram no início dos anos 80. Histórias Reais, Seres Imaginários (Sony), produzido por Sacha Amback, é um álbum não menos folk rock que seus antecessores.O trunfo, neste caso, é trazer canções simples e bem acabadas, esteticamente desapegadas uma das outras. A veia pop não é pasteurizada por arranjos eletrônicos e loops de estúdio. Guitarras e violões de aço sempre falam mais alto, como na abertura de Amanhã ou Depois.Nego, rock mais raivoso (não pense em agressivo, o grupo faz músicas com mãos leves), tem a guitarra-solo de Herbert Vianna. Provavelmente, a última gravação do Paralama antes do trágico acidente que sofreu. "O Herbert deu muita força. Chegou a ser consultado pelo pessoal da gravadora para dizer o que achava de nós na época em que íamos ser contratados. Devemos muito a ele", conta o vocalista e baixista Thedy Corrêa.Nenhum de Nós - Histórias Reais, Seres Imaginários. Preço médio: R$ 21.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.