Nelson Freire interpreta Chopin

O pianista brasileiro Nelson Freire está de volta a São Paulo. Após se apresentar com a Osesp no mês de julho, um de nossos mais destacados pianistas vai fazer amanhã na Sala São Paulo um recital beneficente em favor da TUCCA (Associação Para Crianças e Adolescentes com Tumor Cerebral).Ver Nelson Freire ao vivo é sempre uma grande experiência, mas esta apresentação ganhou uma novo significado - é a chance de vê-lo interpretar os 4 Estudos Op. 25 e a Sonata Op. 58 de Chopin, compositor que vai marcar a volta de Freire aos estúdios - ele assinou recentemente um contrato com o selo inglês Decca para gravar parte da obra pianística do compositor. "Fiquei muitos anos sem fazer discos, e resolvi voltar agora por três motivos", diz Freire em entrevista ao Estado."O primeiro deles é a cobrança por parte do público, que diz não encontrar minhas antigas gravações para comprar." O segundo é a intenção de deixar registrada uma parcela de seu grande repertório. Por fim, uma questão pessoal. "Não quero passar o resto da minha vida em aviões, espero que os discos possam viajar por mim."O último lançamento com interpretações de Freire ocorreu no ano passado, quando foram editadas gravações que ele fez para rádios alemãs e francesas realizadas nas décadas de 70, 80 e 90. Entre seus discos há grandes destaques, como o álbum no qual ele interpreta os concertos n.º 1 e 2 de Tchaikovski, concertos de Schumann e Grieg, e a Totentanz de Liszt. Ou então o volume a ele dedicado da série Great Pianists of the Century, que reuniu duzentos artistas.Freire já iniciou a gravação da Sonata Op. 58 e dos Estudos Op. 25 e os Études Novelles. Segundo Jen-Hugues Allard, vice-presidente de Artistas e Repertório da Decca, são peças acessíveis que atualmente estão sendo redescobertas pelo público e por muitos artistas. Para Allard, é com grande entusiasmo que foi assinado o contrato com Freire, uma vez que ele se diz "impressionado com a profundidade e o brilho no modo dele fazer música".Festival - O concerto de amanhã também tem no programa a Sonata Les Adieux, de Beethoven, e as Cenas Infantis de Schumann. Antes de vir a São Paulo, Nelson Freire apresentou-se no Rio com a Orquestra Petrobras Pró-Música, em um recital que fez parte do Festival Tchaikovski e Chopin, dirigido pelo maestro Roberto Tibiriçá. De Chopin, Freire interpretou o Concerto nº 2 Para Piano e Orquestra (o programa foi completado pela Polonaise Militaire nº 1, também de Chopin, e a Abertura Romeu e Julieta e o Capricho Italiano de Tchaikovski).Realizado no Teatro Municipal, o concerto teve ingressoas a preços populares, de R$ 2 a R$ 10. Grande amigo do maestro Tibiriçá, Freire afirma ter ficado bastante contente por voltar a trabalhar com a Petrobrás Pró-Música, grupo que venceu o Prêmio Carlos Gomes de 2001 na categoria orquestras e que tem como objetivo formar novas platéias. "No ano passado, tive uma experiência muito legal com eles e este ano fiquei feliz por reencontrar um público para o qual há muito não me apresentava no Brasil, aquelas pessoas que levam a família para assistir a concertos no domingo de manhã."Serviço - "Nelson Freire". Renda revertida em prol da Associação para Crianças e Adolescentes com Tumor Cerebral, Tucca. Terça, às 21 horas. De R$ 60,00 a R$ 140,00. Sala São Paulo. Praça Júlio Prestes, s/n.º, em São Paulo, tel. (11) 3337-5414

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.