Nell Ranklin, da Ópera Met, morre aos 81 anos

Nell Rankin, a meio-soprano que cantou na Ópera Metropolitana por mais de duas décadas e interpretou papéis como os de Carmen e Amneris na ópera Aida, de Verdi, morreu. Ela tinha 81 anos.Nell, que sofria de policitemia vera, uma rara doença nos ossos, morreu ma quinta-feira depois de um longo tempo doente, disse ontem o marido dela, Hugh Davidson.Nascida em Montgomery, Alabama, Nell ganhava dinheiro para bancar seus estudos no Conservatório de Música de Birmingham dando aulas de natação, de acordo com o site da Academia do Alabama de Honra, que a incluiu como membro em 1976. Nell mudou-se para Nova York em 1947 e estreou na ópera em 1949, como Ortrud, em Lohengrin, de Wagner, em Zurique, na Suíça. A carreira dela cresceu internacionalmente depois que ela tornou-se a primeira cantora americana a vencer o primeiro prêmio no Concurso de Música, em Genebra, em 1950. No ano seguinte, ela estreou no La Scala em Milão, na Itália, e no Met, onde cantou Amneris. Em sua longa carreira no Met, os papéis de Nell incluíram Eboli, em Don Carlo, de Verdi, e Marina, em Boris Godunov, de Mussorgsky.Nell cantou em uma festa em honra do rei da Líbia, Idris, e fez um recital solo na Inglaterra durante a coroação da rainha Elizabeth II, de acordo com nota divulgada por seu marido, com quem ela se casou em 1951. Ela também cantou na Casa de Ópera de Londres e no Teatro Cólon em Buenos Aires, Argentina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.