Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Natura Musical 2020 patrocina João Donato, Riachão e outros 39 projetos

Gravação de discos, turnês, casas de cultura, projetos de educação musical e documentação de cenas locais estão entre as propostas apoiadas

Guilherme Sobota, O Estado de S. Paulo

25 de novembro de 2019 | 06h00

O projeto Natura Musical anuncia nesta segunda-feira, 25, os artistas, bandas e coletivos selecionados pelo edital 2020 – e o Estado adianta com exclusividade os escolhidos. Entre os 41 projetos, nomes de peso e tradição (Elza Soares, Mateus Aleluia, João Donato e o sambista Riachão), artistas atuantes na cena contemporânea (Emicida e Letrux) e destaques emergentes (como o rapper Zudizilla, a cantora e compositora Jadsa e a cantora Liège). No total, são R$ 5,4 milhões em patrocínios.

Gravação de discos, turnês, casas de cultura, projetos de educação musical e documentação de cenas locais estão entre as propostas apoiadas.

O projeto tem um time de curadores de 22 pessoas da indústria da música, que selecionaram os escolhidos a partir de uma lista de 2.647 inscritos, do Brasil inteiro. Este ano, o Natura Musical conta com apoio das leis de incentivo nacional e da Bahia, de Minas Gerais, do Pará e Rio Grande do Sul – Estados com projetos locais selecionados.

Na categoria nacional, o recém-lançado disco de Elza Soares, Planeta Fome, vai virar DVD, Emicida vai fazer turnê nacional do novo AmarElo e os 15 anos do grupo Ilu Obá de Min, de São Paulo, serão comemorados com álbum, show e curta-metragem, entre outros projetos.

Da Bahia, Russo Passapusso, vocalista do Baiana System, junta-se à veterana dupla Antônio Carlos e Jocafi para lançar um álbum, que está sendo produzido há 3 anos. Em Minas, o documentário Essas Mina É Zica pretende retratar a realidade de seis mulheres rappers na ativa cena de Belo Horizonte. No Pará, o Circuito Mangueirosa vai montar uma programação gratuita nas ruas de Belém. E do Rio Grande, o coletivo Tem Preto no Sul deve lançar um documentário sobre a produção dos artistas da residência.

Segundo a gerente de Marketing Institucional da Natura, Fernanda Paiva, o objetivo da marca com o projeto – que chega aos 15 anos em 2020 – é ter uma percepção de público de compreender a importância da cultura na sociedade e ter seu nome associado a isso. “O Natura Musical influencia na economia criativa de todo o mercado, unindo as diversas experiências de todos os envolvidos nos projetos, bem como dos curadores”, explica. Há 3 anos o projeto também investe em uma equipe de curadores mais diversa. “Isso se reflete no resultado dos projetos, que se abrem para um escopo maior”, diz Fernanda.

Veja a lista completa de projetos do Natura Musical 2020, com as descrições fornecidas para a reportagem:

NACIONAL

Amaro Freitas

A música instrumental brasileira ganhou uma nova cara com o pianista recifense. Ele renovou o jazz ao trazer pra ele influências de ritmos nordestinos. Amaro Freitas prepara o terceiro álbum, com direito a turnê e registros audiovisuais. 

Conecta Música

O Conecta Música faz parte do BR135, maior festival de música do Maranhão. O projeto contempla oficinas, rodas de conversa e encontros de negócios voltados para a gestão de carreira no mercado musical. Haverá transmissão pela internet.

Edgar

Edgar gosta de dizer que é um ser nada mimético, milimétrico ou métrico e sim semi-ótico, seminu, cru. O cantor e performer entra em estúdio para gravar "Ultraleve", segundo trabalho de uma trilogia iniciada pelo artista em "Ultrassom".

Elza Soares

Elza não precisa de sobrenome. É a voz que todos conhecem e reconhecem. A carioca não nega suas origens e segue denunciando as mazelas do povo brasileiro. Seu recém-lançado disco “O Planeta Fome de Elza Soares” vai virar DVD.

Emicida

O rapper começou a carreira vendendo seu trabalho na rua. Muitos prêmios depois, ele fará a turnê do álbum AmarElo, acompanhado de vídeos dos bastidores de shows e workshops que fez com jovens artistas em comunidades carentes.

Ilú Obá De Min

A associação de mulheres faz parte da história de São Paulo. Ela celebra a cultura afro-brasileira, com atividades que fortalecem relações étnico-raciais. Os 15 anos do Ilu Obá de Min serão comemorados com álbum inédito, show e curta-metragem.

João Donato

O acreano de 85 anos é uma fonte inesgotável de boa música. Instrumentista essencial na história da cultura brasileira, João Donato prepara um presente para o futuro: disco e shows com participação de diversos artistas da nova geração.

Letrux

A cantora é ácida, apaixonada e mostra que quem manda nos nossos sentimentos somos nós e mais ninguém. Depois de criar um frisson com "Em Noite de Climão", ela prepara o segundo disco, que virá acompanhado de um minidocumentário.

Papo de Música - Pelo Brasil

O canal do YouTube "Papo de Música", da jornalista Fabiane Pereira, nasceu em 2018 e conquistou o público com entrevistas descontraídas. Agora, o projeto circulará por cinco regiões do País, mostrando o trabalho de diversos artistas.

BAHIA

Alto da Maravilha - Disco de Russo Passapusso, Antônio Carlos e Jocafi

Russo Passapusso, do Baiana System, une-se a Antônio Carlos e Jocafi, que já somam 50 anos de estrada, para lançar Alto da Maravilha. O álbum vem sendo composto há três anos. O projeto ainda prevê minidocumentários e fotografias.  

Cabokaji - Natural Caboks

O projeto busca manter viva a cultura afro-ameríndia dos povos originários do Brasil.  A partir da vivência com indígenas, o grupo produzirá um disco, clipes e um documentário, além de circular com apresentações. 

Coletivo Afrobapho

O coletivo criado por jovens negros e LGTBQ+ utiliza a arte para mobilizar o público ao redor de temas como intersecção de raça, gêneros e sexualidades. O grupo fará um evento com rodas de conversa, aulas de dança, música e performance.

Feira Noise Festival – Entroncamentos

O evento é dos mais conceituados festivais independentes do País. Ele ocorrerá em Feira de Santana, a partir de um encontro entre artistas headlines e artistas locais. Juntos, eles farão oficinas, shows e conferências sobre o mercado musical.

Jadsa

Depois de lançar um EP, a cantora, compositora, guitarrista, produtora e diretora musical chega com Olho de Vidro, produzido em parceria com João Meirelles. O disco terá a participação de Luiza Lian, Josyara, Kiko Dinucci, Felipe Massumi, entre outros.

Mateus Aleluia, o Afrocanto das Nações

O cantor e compositor viaja ao continente africano para registrar os cantos aos Orixás, Nkises e Vodunsem em suas terras de origem. O resultado virá em formato de disco, além de fotos, vídeos e textos sobre o processo de pesquisa.

Riachão

Aos 98 anos, Clementino Rodrigues, conhecido como Riachão, é uma das principais referências do samba. Ele lançará “Se Deus quiser eu vou chegar aos 100” com faixas inéditas e autorais, além de um site com o acervo de sua trajetória musical.

Ta Batenu - Culto Afrofuturista

O coletivo ganhou destaque por mesclar inovação e ancestralidade. Agora, prepara mais uma celebração à música negra: Ta Batenu – Culto Futurista. O evento trará shows e performances para dentro da Senzala do Barro Preto, sede do grupo Ilê Ayiê.

MINAS GERAIS

Azul Flamingo

O trio uberabense fará shows e gravará videoclipes em seis cidades brasileiras. Neste circuito, o grupo também propõe oficinas sobre o universo da música, acompanhadas de apresentações de bandas locais. 

Bemti

Bemti é conhecido por uma leitura íntima da viola caipira de 10 cordas. Depois do sucesso com o disco “Era dois”, o artista prepara “Logo Ali”, um álbum visual produzido por Pedro Altério e com participações de Jaloo e Helio Flanders.

Essas Mina É Zica

O documentário pretende retratar a realidade de seis mulheres rappers da capital mineira. Enquanto algumas conseguem se dedicar exclusivamente à carreira musical, outras precisam dividir o tempo entre arte, família e outros trabalhos.

Malta – Mulheres da América Latina reunidas pelo Tambor

O evento “Encontro de Redes” fomentará o protagonismo feminino no universo da percussão. Para isso, o projeto reunirá mulheres tamboreiras do Brasil, Argentina, Peru, Uruguai, Colômbia e Ruanda. O evento inclui imersões musicais e oficinas. 

Sessões StereoLAB

O projeto é encabeçado pela casa de shows Laboratório 96, que se consagrou como um ponto de apoio para a circulação de bandas de MG, SP e GO. A programação da casa incluirá pesquisas, mostras, residências e intercâmbios entre artistas.

Música Mundo

O projeto promoverá o Encontro Internacional de Música e Negócios. O evento será gratuito e trará na programação, estarão debates em torno da economia criativa do universo da música, além do showcases de artistas de diferentes estilos.

Sara Não Tem Nome

Após o aclamado álbum de estreia Ômega III, Sara Não Tem Nome está de volta ao estúdio para gravar “A situação”. Neste novo disco, a artista assume ainda mais uma voz fortemente política e crítica da situação atual do País.

PARÁ

Anna Suav e Bruna BG

Anna Suav é uma afroameríndia feminista que faz ecoar suas mensagens por meio da mistura de RAP e R&B. Bruna BG é MC conhecida nome conhecido na cena de Belém. Juntas, elas criarão um álbum visual e oficina cultural.

Antônio de Oliveira – Avante Axé

O cantor e compositor é militante da causa LGBTQ+ e dos direitos humanos. Ele já tem um EP lançado e agora vai gravar Avante Axé, álbum que fala sobre o desafio de viver no Brasil, o País que mais mata homossexuais e trans no mundo.

Bando Mastodontes

Tambor para fazer carnaval. Cordas para rimar com tambor. Canções autorais feitas para teatro e com a galera do teatro. Esta é a síntese poética proposta pelo por Bando Mastodontes. Tudo isso será registrado no primeiro álbum do grupo.

Chico Malta

O mestre de carimbó percorre vários estilos do cancioneiro do Norte. Já gravou cinco discos e escreveu o livro O Canto da Amazônia. O próximo projeto dele será um álbum com canções autorais, um show em Alter do Chão e oficinas socioeducativas.

Circuito Mangueirosa

O grupo já reuniu cerca de 40 mil pessoas com uma festa que dura quatro dias e resgata o carnaval e a cultura paraense. Agora, Circuito Mangueirosa prepara sua volta para as ruas de Belém com uma programação gratuita.

Liège

A cantora é conhecida por seu forte posicionamento em causas sociais e de gênero.  Ela vai lançar um álbum digital com direito a uma apresentação show em Belém, além de um pocket show seguido de um bate-papo sobre violência contra a mulher.

Metaleiras da Amazônia – Metazonia

O trio traz uma identidade musical amazônica eletrizante: a lambada e o carimbó se mesclam a referências que rementem aos povos ribeirinhos. O mapeamento da produção cultural da região se transformará no primeiro álbum e uma turnê.

Lucas Estrela

Ele renovou a música tradicional paraense com influências da tecnoguitarrada e eletrocarimbó. Agora, parte para seu terceiro álbum autoral, que se desdobrará em shows de lançamento e oficinas de produção musical.

Thais Badu

A cantora e compositora se define como “mulher preta de luz e resistência”. Thais Badu mescla ritmos paraenses com influências do reggae, rock e pop. O primeiro disco de Thais vem acompanhado de videoclipes e shows de lançamento.

RIO GRANDE DO SUL

Agulha

A casa de shows abriu as portas em 2017, movimentando a nova cena local de Porto Alegre com artistas independentes. O projeto prepara uma série de apresentações que serão registradas em vídeos e entrevistas para a web.

B.art

Fotógrafa, jornalista e escritora, B.art tem a rima como principal aliada para abordar temáticas astrais, discussões sociais e gritos de liberdade. Seu primeiro disco virá acompanhado de zine, shows e uma série de videoclipes.

Frank Jorge e Kassin

O multi-instrumentista, cantor e compositor Frank Jorge se junta ao produtor musical carioca Alexandre Kassin para o lançamento de um álbum com canções inéditas. O projeto vem com clipes e um minidocumentário sobre o processo de criação.

RS Music Lab

O projeto reúne bandas e agentes culturais para fortalecer a cadeira produtiva da música. O Music Lab prepara o lançamento de uma coletânea digital e uma conferência com rodadas de negócio para agentes do mercado da música.

Tagua Tagua

Os singles da banda se mostram capazes de fazer nascer todo tipo de sentimentos: é para cantar a plenos pulmões e para ouvir baixinho no quarto. O próximo passo será o lançamento do primeiro álbum.

Tem Preto no Sul

A residência artística para músicos negros resultará em EPs e um documentário sobre o trabalho realizado. O projeto fará ainda oficinas em São Paulo (SP), Esteio (RS) e Rio de Janeiro (RJ) sobre composição, produção musical e expressão corporal.

Vitor Ramil

O artista gaúcho doma as palavras como ninguém e confere uma estética original em suas obras literárias e musicais. Na série de shows "Avenida Angélica", Vitor Ramil apresenta músicas compostas a partir de poemas de Angélica Freitas.

Zudizilla

O artista faz rap por imagem, cor e som. O que importa mesmo é a mensagem. Revelação no cenário musical, Zudizilla vai registrar sua nova turnê em documentário com a participação de representantes do ativismo negro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.