Nation of Islam integra reunião de cúpula de Jackson

O círculo íntimo de funcionários de Michael Jackson se reuniu nesta segunda-feira em um hotel em Beverly Hills. O motivo oficial da reunião era discutir a situação financeira do cantor. Mas especula-se que o assunto seja o processo por abuso sexual movido contra ele. Participaram do encontro o advogado do cantor, Mark Geragos, produtores e contadores. Mark Geragos permitiu a entrada de uma equipe de reportagem da Associated Press. "Isso vai durar o dia inteiro", disse ele, indicando que mais membros da equipe de Jackson poderiam chegar. Ao ser perguntado por que Jackson não estava presente, uma vez que ele não estava na sala onde os repórteres foram recebidos, Geragos respondeu: "Quem disse que não está?". O grupo de funcionários e conselheiros de Michael Jackson estava reunido em torno de uma grande mesa numa suíte do hotel. Na cabeceira, sentava-se Leonard Muhammad, alto representante do grupo Nation of Islam (Nação do Islã), sobre o qual houve rumores de que Jackson havia se filiado há semanas. Na época, o cantor negou a filiação e a conversão ao Islamismo. Outros membros do Nation of Islam estavam numa área fora da suíte. O produtor musical de Jackson, Charles Koppelman, foi perguntado sobre se o grupo Nation of Islam estava encarregado de algum aspecto dos negócios do cantor. Ele respondeu que não.

Agencia Estado,

12 de janeiro de 2004 | 19h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.