Nata da MPB homenageia Senna

O megashow Ayrton Senna in Concert levou hoje ao Estádio do Pacaembu cerca de 25 mil pessoas, na estimativa dos organizadores, 15 mil segundo a Polícia Militar. Desse total, 8 mil eram convidados e boa parte não foi ao Pacaembu, o que justificava, segundo a organização, os vazios de público na grande área vip. As cerejas do bolo eram os encontros musicais inéditos, entre Caetano Veloso e Sandy e Frejat e Júnior, mas quem levantou o público foram as baianas de trio elétrico, como de hábito. Ivete Sangalo com seu hit A Festa, esquentou a platéia, que estava ressabiada pela chuva fina que caiu no estádio no início da apresentação.O show começou com 43 minutos de atraso, às 21h13, com a apresentação de uma orquestra e de seis bailarino do Balé da Cidade de São Paulo. Logo após, o apresentador da TV Globo Galvão Bueno subiu ao palco e deu um depoimento sobre o piloto, o homenageado da noite. "Algumas vezes ele me disse que tinha um desejo que achava que não ia ser realizado. Ele tinha muita vontade de ouvir todos os seus fãs gritando juntos Ayrton, Ayrton Senna do Brasil." Então, Galvão Bueno pediu para a platéia gritar seu bordão, que se popularizou durante o reinado de Senna da Fórmula 1. O público respondeu ao apelo.O primeiro número musical foi de Ivete Sangalo, a balada Carnavaliá. A essa altura o som baixo atrapalhava a apresentação, problema que prosseguiu até que Caetano Veloso entrou para cantar Força Estranha. A partir da metade da apresentação de Caetano o som melhorou bastante. O capitão da seleção tetracampeã do mundo Dunga também apareceu para dar um depoimento, além de Cristiane Torloni, Xuxa, Hortência e Guga (por meio de um vídeo), entre outros. "Erguer uma taça de campeão do mundo é muito bom, mas não é fácil", afirmou Dunga. "Senna seria campeão em qualquer coisa que fizesse." Metade do público vaiou e metade aplaudiu quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva apareceu no telão.A dupla Sandy e Júnior teve boa acolhida cantando É Preciso Saber Viver, de Roberto e Erasmo Carlos. Outro momento aguardado foi a apresentação de Chico Buarque de Holanda. Ele foi convidado a subir ao palco por Milton Nascimento, assim que o cantor mineiro terminou de apresentar Canção da América. Milton, ao violão, mais dois músicos de instrumentos de corda, e Chico Buarque cantaram Cio da Terra. Os dois não cantavam juntos a canção desde os anos 1980. O número foi muito aplaudido, mas Chico errou a letra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.