Napster pago entra no ar no meio do ano

O site de música digital Napsterdeve passar a cobrar taxas de assinatura pelo serviço a partir de junho ou julho deste ano.Foi o que anunciou hoje o chairman da Bertelsmann, Thomas Middelhoff, durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. Segundo Middelhoff, a Bertelsmann e o Napster fizeram um levantamento entre os usuários doserviço, que se mostraram dispostos a pagar para continuar usando o Napster. Em outubro, asduas empresas haviam assinado um acordo para criarem um novo serviço de música on-line,baseado em assinaturas. Com isso, o Napster livrou-se das acusações de violação de direitos autorais da Bertelsmann eagora as duas tentam atrair outras gravadoras para o novo modelo de serviço on-line.No entanto, grande parte da indústria fonográfica continua contra o site, que permite a trocagratuita de arquivos de música entre seus usuários, resultando, segundo alegam os selos egravadoras, em prejuízos em royalties para as empresas e para os próprios artistas. O Napsterestá negociando com empresas como Sony, EMI Group, Warner Music e Universal, entre outras,para tentar promover o novo serviço.As assinaturas foram o meio encontrado para tornar o Napster legal, apesar do temor da empresade espantar seus usuários. Segundo Middelhoff, o Napster já possui 56 milhões de usuários, com1,6 milhões de músicas digitais disponíveis no total.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.