Naná Vasconcelos e Jorge Benjor em novos shows

O percussionista Naná Vasconcelos e o cantor, compositor e guitarrista Jorge Benjor fazem show neste fim de semana na cidade. Além deles, ainda tem a estréia do projeto Samba do Blen, no Blen Blen (R. Inácio Pereira da Rocha, 520, tel. 3812-9333), com T. Caçula e Renato Dias, representando a nova geração. Naná, um dos maiores percussionistas do planeta, mantém sua carreira em constante fervura. Cada show é uma experiência nova e única. Toca neste Sábado e domingo no Teatro Alfa com a Orquestra Experimental de Repertório, sob a regência do maestro Jamil Maluf. "Esta é uma oportunidade entusiasmante, porque vou tocar com músicos muito jovens, que têm uma energia diferente. É difícil encontrar um maestro que acredite na mistura de orquestra com berimbau e que isso possa funcionar", diz Naná. O homem em si já é uma orquestra e se notabilizou por expandir para dimensões jamais acreditadas antes o limitadíssimo berimbau. "Acredito na potência visual da música, na possibilidade de contar histórias sem palavras", diz. Na segunda parte do concert, vai interpretar quatro peças de seu repertório - Berimbau, Vozes, Cortina e Canto da Freira Bóia - seguindo orientações dos arranjos originais de Egberto Gismonti (as duas primeiras), Peter Scherer (com adaptação de Gil Jardim) e Nelson Ayres, respectivamente. Na primeira parte, a orquestra interpreta Bachianas Brasileiras n.º 7, de Villa-Lobos. Nos intervalos, o percussionista toca solos. Para Naná, que acaba de voltar de mais uma produtiva viagem à matriz africana (Moçambique, Angola e África do Sul), "é maravilhoso poder fazer essas experiências no Brasil, pode despertar outros percussionistas a abrir o leque". Jorge Benjor - Quatro temas também podem ser novidade no roteiro do papa do suingue Jorge Benjor, que faz shows de lançamento do CD Reactivus Amor Est (Turba Philosophorum). Mexe Mexe, Sãos e Salvos, Gabriel, Rafael, Miguel e O Rei É Rosa Cruz devem encontrar uma brecha entre os eternos e contagiantes hits de seus shows, como Salve, Simpatia e Taj Mahal. É quase sempre igual, mas é sempre bom. Ou vice-versa. Mas como diz um dos mais influentes músicos do pop brasileiro, "quando você pára de brincar, de mexer, você envelhece". Então, mexe, mexe. Naná Vasconcelos - Teatro Alfa (1.134 lug.). Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722, 5693-4000/ 0300 789-3377. Sábado, 21h; domingo, 18h. R$ 20 a R$ 50Jorge Ben Jor - DirecTV Music Hall (1.600 lug.). Avenida Jamaris, 213, Moema, 6846-6040. Sexta e sábado, 22h. R$ 40 a R$ 100. Naná Vasconcelos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.