Músicos da Filarmônica de Berlim visitam Rocinha

O maestro Claudio Abaddo, músicos e dirigentes da Orquestra Filarmônica de Berlim, que se apresentam amanhã à noite, no Teatro Municipal, no Rio, se encantaram com a apresentação das crianças da escola de música da Rocinha, no fim da tarde de hoje. Eles vieram doar 10 mil marcos (cerca de R$ 5 mil) para a instituição fundada por Hans Kocak, um professor de música alemão que viveu 18 anos no Brasil. "É a primeira vez que fazemos uma doação em dinheiro", disse o diretor da Orquestra, Elmar Weingarten. "Geralmente fazemos concertos beneficentes, mas quando Hans nos fez o pedido, resolvemos que dar uma quantia em dinheiro era melhor".Abaddo e seus músicos assistiram atentamente à apresentação dos alunos da escola de música da Rocinha, que tocaram um repertório que tinha Pixinguinha e Mozart, Bach e Gilberto Gil. As crianças deram ao maestro e aos músicos uma placa comemorativa da visita deles. O maestro disse que conhecia algumas das canções populares tocadas porque aprecia muito a música brasileira. "Em São Paulo, terminei o concerto com a Bachiana n.º 5 de Villa Lobos", contou ele. "É terrível e triste ver a pobreza de uma favela, mas em vários países da América Latina tenho encontrado futuros músicos formados em situações como esta", comentou.A escola de música da Rocinha foi fundada em 1994 por Kocak que hoje a administra de longe. Segundo diretor da instituição, Gilberto Figueiredo, são 120 alunos, com idade entre 8 e 16 anos. "Nossa intenção, desde o início, era tirar essas crianças da rua com uma atividade que talvez lhes desse uma profissão", explicou o professor. "Hoje, eles já formaram grupos e alguns decidiram se profissionalizar".O maestro Claudio Abaddo disse que vai tocar amanhã à noite o mesmo repertório de São Paulo, "inclusive Villa Lobos". Ele explicou que poucos músicos puderam ir à quadra da Escola de Samba Acadêmicos da Rocinha, onde a apresentação aconteceu, porque ficaram retidos em São Paulo. Hoje à noite ele planejava passear pela cidade, que visita pela primeira vez. "Estou achando tão ou mais bonita do que me foi contado sobre o Rio de Janeiro", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.