Musical sobre Obama agrada com genialidade instrumental

Trinta atores e dançarinos, sob a direção de Roberto Emmanuele, interpretam a ascensão de Obama ao poder

EFE,

18 de janeiro de 2010 | 14h02

Cena do musical sobre o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. Foto: EFE/Arantxa Iñiguez

 

FRANKFURT, Alemanha - Hope, um musical de três horas de duração baseado na campanha eleitoral do presidente americano, Barack Obama, agradou os 2 mil espectadores que assistiram à estreia com genialidade instrumental e vocal, mas com deficiências teatrais.

 

A peça que teve sua estreia no domingo, 17, na sala de concertos Jahrhunderthalle, nos arredores de Frankfurt, centra-se na campanha eleitoral de Obama em 2008 e na chegada à Casa Branca.

 

Contada musicalmente de forma impressionante e impecável ao som de gêneros como o soul, o gospel, o rock e o rap, Hope tem carências interpretativas e argumentais, com uma apresentação pueril e inúmeros estereótipos.

 

Trinta atores e dançarinos, a maior parte deles americanos, sob a direção de Roberto Emmanuele, interpretaram números sobre a ascensão de Obama ao poder e o início da carreira política como assistente social em uma comunidade afro-americana de Chicago.

 

O musical tem como pano de fundo a difícil situação econômica e social dos EUA em 2008, com a pior crise financeira e econômica desde a Grande Depressão e as consequências da invasão do Iraque.

 

Nesse momento chega Obama com uma mensagem de mudança e esperança, que finalmente consegue envolver inclusive os tradicionais eleitores republicanos.

 

O musical começa no apartamento de um típico casal afro-americano de Chicago, os Johnson, com dois filhos no Iraque e uma filha na Universidade, que serve de ponto de encontro com o resto dos moradores da comunidade onde expressam seus problemas e simpatias políticas.

 

Um desempregado porto-riquenho, uma viúva conservadora de origem alemã e duas afro-americanas entusiasmadas com Obama se reúnem na casa dos Johnson.

 

Nesses encontros, o reverendo Wright, interpretado por Boysie White e responsável pelos melhores gospels e interpretações musicais de Hope, é guia espiritual da comunidade e posteriormente de Obama.

 

Os atores que interpretam Barack e Michelle Obama são Jimmie Wilson e Della Miles.

 

Wilson, que atuou com o artista britânico Seal, com Lionel Richie e em Sisterella (espetáculo produzido por Michael Jackson), entra em cena de forma pouco espetacular e convincente e nos aproxima de Obama em um gospel intitulado Yes We Can.

 

A atuação do musical "Hope", que é bilíngue em inglês e alemão e narrado pelo alemão Patrick Gräser, também fala sobre os políticos Hillary Clinton, John McCain e Sarah Palin.

 

Entre os músicos, se destacam o saxofonista cubano Leandro Saint-Hill e o percussionista espanhol Carlos Serrano del Rio.

 

O público interagiu com o musical usando em alguns momentos as cadeiras da plateia como instrumentos de percussão.

 

A vida e carreira política de Obama também inspiraram outro musical em um pequeno teatro de Londres em março do ano passado intitulado Obama On My Mind.

aia/sa

Tudo o que sabemos sobre:
Obamamusical

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.