"Música na cabeça" é alvo de estudo nos EUA

Quem nunca ficou com uma ?música na cabeça?? Por horas, dias ou às vezes por mais tempo. O fenômeno é alvo de um estudo da Universidade de Cincinatti, dos Estados Unidos. Apesar de as pesquisas indicarem possíveis tratamentos para o problema, não foi descoberta nenhuma forma de impedir o aparecimento daquela lembrança recorrente de uma música. O professor James Kellaris, que conduz a pesquisa, afirma que não há regras para identificar uma música que pode ficar na cabeça de alguém. ?Há certas músicas que poderíamos descrever como pegajosas, mas qualquer coisa pode virar uma minhoca dos ouvidos?. Nos EUA, as músicas que ficam na cabeça são chamadas de earworm, minhoca de ouvido. No entanto, em uma das várias amostragens que Kellaris realizou para a pesquisa, alguns casos apareceram mais nitidamente. Em 500 estudantes e funcionários da universidade pesquisados, o jingle de uma rede de lanchonetes americana e o rap Who Let The Dogs Out ficaram entre as mais mencionadas como pegajosas. Kellaris também descobriu outros dados através de pesquisa: as mulheres ficam mais irritadas e frustradas com músicas na cabeça; pessoas que são mais expostas a música têm mais chance de desenvolver o problema; pode haver uma relação entre a música na cabeça e um certo nível de neurose.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.