MTV comemora 20 anos de sucesso

A MTV comemora 20 anos de atividades no dia 1.º de agosto celebrando sua mais valiosa conquista: a capacidade de estar sempre se renovando. O canal de música - que tem hoje uma programação praticamente sem videoclipes - prepara uma festa com um variado elenco de atrações pop e resgata seu primeiro time de VJs, uma surpresa para uma emissora que tem como filosofia se renovar a cada dois anos e meio. A MTV é uma das maiores emissoras de TV do mundo, atingindo 342 milhões de domicílios nos cinco continentes, trazendo um faturamento bruto de US$ 3 bilhões por ano. E a emissora chega "à maioridade" melhor do que nunca: a audiência do primeiro trimestre de 2001 cresceu 20% em relação ao ano anterior.Assim, Busta Rhymes, TLC, Jane´s Addiction e Beavis e Butt-Head participam do show de comemoração dos 20 anos, no Hammerstein Ballroom, em Nova York, no dia 1.º. Também vão estar na festa Martha Quinn, J.J. Jackson, Alan Hunter, Nina Blackwood e Mark Goodman, os cinco VJs originais da emissora, que ajudaram a formatar o conceito da MTV em 1981.O canal entrou no ar depois de poucos meses de gestação, despertando muitas dúvidas sobre sua viabilidade. Com escritórios e estúdios em Nova York, o canal nem era transmitido para a cidade. A falta de videoclipes era o principal problema na hora de completar a programação 24 horas da MTV, que, ironicamente, estreou com Video Killed the Radio Star (O Vídeo Matou o Astro do Rádio), dos Bugles.Apesar de ter gerado discussões de músicos que não queriam ter "a obrigação" de sustentar uma imagem para suas criações sonoras, a MTV não matou ninguém. Pelo contrário: abriu as portas para mulheres no mundo pop (Pat Benatar foi a primeira a tirar vantagem do canal) e para os negros no mercado (com Thriller, de Michael Jackson). A emissora ainda criou o mercado dos diretores de videoclipes e novos formatos, como a série Acústico, as notícias de música e os prêmios Video Music Awards e Movie Awards. Financeiramente, a MTV também deu certo: passou a dar lucro depois de apenas dois anos e foi comprada pela Viacom em 1985. Nos últimos anos, a emissora passou a desmusicalizar sua programação - uma movimentação criticada pela indústria da música. "Muitas pessoas ainda olham para a MTV da mesma forma como olham para o rádio", diz a presidente da emissora, Judy McGrath. "Programas que temos hoje, como Making the Video e MTV Cribs, conectam o público com os artistas de uma forma mais eficiente." Para contornar a insatisfação da indústria e do público, a empresa lançou nos últimos anos a MTV2, com uma programação de clipes mais "alternativos"; a MTV S, orientada para o público latino nos Estados Unidos; e a MTV X, trazendo apenas hard rock e heavy metal. Mas a direção da emissora não está preocupada com as críticas. De acordo com McGrath, a filosofia da empresa é ter uma audiência completamente nova a cada dois anos e meio, exatamente como uma escola de segundo grau. "Nos inspiramos muito nas levas de estagiários que temos na empresa, analisando os costumes, a atitude, a roupa, os piercings ", observa ela. A emissora já começa a analisar qual seria a próxima onda, que deve substituir a febre das boy bands.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.