Motorista garante que Puff Daddy tinha arma

Sean "Puffy" Combs colocou uma arma em sua cintura e cobriu-a com sua camisa antes de entrar no Club New York, em Manhattan, em 27 de dezembro de 1999, quando três pessoas foram feridas em um tiroteio. A informação foi dada por Wardell Fenderson, o motorista do rapper, que disse ter visto uma arma preta, automática, segundo o jornal New York Post. O rapper pode pegar até 15 anos de prisão, caso seja condenado por porte ilegal de arma e tentativa de suborno.O motorista também confirmou que o músico tentou suborná-lo com US$ 50 mil (um anel de US$ 300 mil como garantia) para que dissesse que a arma era sua. Tanto o rapper quanto o segurança Anthony "Wolf" Jones pressionaram ele para aceitar. O motorista também descreveu para o júri a fuga do grupo pela Oitava Avenida, em alta velocidade. Fenderson disse que Puffy gritava para que ele continuasse em alta velocidade enquanto o Lincoln Navigator era perseguido por carros de polícia. O motorista foi a quarta testemunha que disse ter visto o rapper com uma arma naquela noite.

Agencia Estado,

16 de fevereiro de 2001 | 15h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.