Motomix tem dia de Franz Ferdinand e Art Brut

Quem passou pelo Museu Brasileiro da Escultura (MuBE) e pelo Museu da Imagem e do Som (MIS) nos dois primeiros dias da 4.ª edição do festival Motomix aprovou o que viu. O público teve entrada gratuita e se esbaldou (pelo menos até o horário em que a subprefeitura permitiu a realização do evento) com as exposições de arte multimídia, performances, workshops e cinema chamado de bolso, com filmes de curta duração para serem veiculados em celulares. Artistas reconhecidos internacionalmente como Chelpa Ferro, que já expôs suas obras nas bienais de São Paulo e de Havana, se misturaram com novos talentos que estão despontando em linguagens audiovisuais, selecionados a partir de um concorrido concurso - Renzo Assano, por exemplo, criou uma rinha de ferro para abrigar uma briga de robôs, em vez de galos. Quatro pessoas podem pôr um dos robôs para brigar, acionando um controle remoto. A dupla de VJs e DJs do Addictive TV, Graham Daniels e Nick Clarke, foi bastante aplaudida pelo público, principalmente quando exibiu cenas do longa "Cidade de Deus", de Fernando Meirelles. As imagens, muito bem editadas, eram casadas com uma base mixada de electro tecno: o tiroteio na favela comandado por Zé Pequeno era apenas um dos elementos sonoros que compunham a música. "Preparamos esse vídeo especialmente para apresentarmos aqui no Brasil", conta Daniels. Os ingleses do Addictive TV darão mais uma palhinha de sua mistura cinematográfica com eletrônica no domingo, das 4h20 às 4h50 da manhã, entre os shows do Radio 4 e o DJ set de Peter Hook, do New Order, no último dia do festival que ainda contará com a presença de Franz Ferdinand, Art Brut e muitos outros. Motomix. Espaço das Américas. R. Tagipuru, 795, (11) 3829- 4899. Amanhã, 21 h às 7 h. R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia) - um ingresso por estudante

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.